Delação de Lélis Teixeira atinge os três poderes do Rio de Janeiro

Redação EuQueroInvestir
Colaborador do Torcedores

Crédito: Octacílio Barbosa/Alerj

Em delação premiada, o ex-presidente da federação de empresas de ônibus do Rio de Janeiro, Lélis Teixeira, contou detalhes sobre pagamentos de propinas que atingem diretamente os poderes Executivos, Legislativos, Tribunais de Contas de Estados e Municípios, além do Judiciário e do Ministério Público do Rio de Janeiro.

O acordo entre Teixeira e o Ministério Público para delação foi assinado em fevereiro deste ano. Segundo a Folha de S. Paulo desta terça-feira (31), o executivo relatou sobre as informações recebidas sobre o pagamento de propinas para autoridades durante anos e descreveu os beneficiários da caixinha da Fetranspor.

Com as informações fornecidas por Teixeira, a Lava Jato pode chegar instituições que ainda não foram atingidas. Uma delas é o Tribunal de Justiça. Além do órgão, deputados, desembargadores e prefeitos da cidade, entre eles Marcelo Crivella e Eduardo Paes são outros alvejados.

Análises e Resumos do mercado financeiro com leituras de 5 minutos. Conheça a EQI HOJE