De Telebrás (TELB3) à Vale (VALE3) concentração na B3 (B3SA3) desaba desde privatizações

Regiane Medeiros
Colaborador do Torcedores
1

Conforme estudo divulgado pela Economatica, a concentração do volume financeiro médio entre as 5 e 10 ações negociadas mais negociadas na B3 foi a menor da história em 2020.

Entre os anos de 2000 a 2018 as Top 10 estavam na faixa de 40% a 55% do mercado. Em 2019 a relação caiu para 39,7%.

Até fevereiro de 2020, a concentração era de 36,9% entre as top 10 mais negociadas, com a Vale (VALE3), privatizada em 1996, no topo do ranking de volume média diário anual com 10,15%. Na sequência vem Petrobras (PETR4), com 6,49%.

Em 1998, ano em que a Telebrás (TELB3) sofreu cisão, foi registrada a maior concentração, com 86,78% do volume concentrado entre as 10 ações mais movimentadas pelo mercado.

Na época, a ação da Telebrás PN representava 58,25% do volume total da bolsa. A segunda maior ação mais negociada naquele ano foi a da Petrobras, com 7,10% do volume total movimentado no mercado à vista.

Top 5 ações

O ano de 1998 também foi o ano com a maior concentração, com 77,31% do volume financeiro, concentrado nas Top 5 ações do mercado.

Já em 2020 a B3 atingiu o menor valor de concentração com 24,54%.

A concentração das Top 5 em 2021 até o dia 12 de fevereiro é a segunda menor da amostra com 26,78%.

A ação preferencial da Petrobras (PETR4) está presente em todos os anos da amostra, a Vale (VALE3) em 19 anos é a segunda ação mais presente entre as Top 5, Bradesco (BBDC4) e Itau Unibanco (ITUB4) em quinze oportunidades fazem parte do grupo.