Day Touro: Rodrigo Abbud vê momento atual favorável a fundo imobiliários

Matheus Gagliano
Colaborador do Torcedores
1

Apesar da pandemia do novo coronavírus e da adoção do home office, o momento atual é favorável a investimentos em Fundos Imobiliários. Isso porque os valores serão recompostos quando ocorrer a retomada da economia. A avaliação é de Rodrigo Abbud, sócio fundador da VBI Real Estate. Ele participou do Day Touro, comandado por Pablo Spyer, nesta quarta-feira (5).

Atingir um patrimônio de R$ 100 mil é para poucos, o que amplia o desafio de busca pelas melhores aplicações para multiplicá-lo

Abbub avaliou que a oscilação recente no mercado de Fundos Imobiliários pode ser creditado a um “barulho de mercado”, porque entraram muitos novos investidores. Porém, lembrou que este tipo de aplicação é de longo prazo, ou seja: se houve problemas nos últimos 12 meses, haverá tempo em cenário de médio prazo para que as perdas sejam recompostas.

Veja aqui a transmissão completa:

Ele afirmou que atualmente há oferta de fundos bons ativos e com bons gestores. E que em um cenário considerado normal, estes não seriam ofertados. Portanto, na compra destes ativos, o investidor pode ter uma boa rentabilidade em cenário de médio prazo.

Day Touro: bolsa com 5 milhões de investidores

O sócio fundador da VBI disse ainda que está otimista com o mercado. No ano passado, o mercado de fundos atingiu 1 milhão de investidores. Espera que em um cenário de médio prazo, entre dois a três anos, atinja a marca de 5 milhões de investidores.

“A partir de R$ 100 é possível investir em um imóvel na Rua Faria Lima. Então os Fundos Imobiliários contribuem para a democratização do mercado”, disse ele.

Ele avaliou ainda que há espaço para o fundo crescer. Isso porque os outras classes de investidores, como grandes fundos de pensão ainda não estão investindo de forma maciça. Ele diz que estes ainda estão em um processo de estudar e avaliar esse tipo de aplicação.

Quando os grandes fundos passarem a investir de forma sistemática, com valores de R$ 50 milhões a R$ 100 milhões, o mercado de Fundos Imobiliários ganhará mais liquidez. Atualmente, o mercado negocia em torno de R$ 30 milhões a R$ 40 milhões por dia na B3.

Com alta da Selic, mais rentabilidade

A taxa básica de juros, a Selic, tem uma grande influência nos fundos. Abbud explicou que, com a retomada dos juros, as aplicações terão mais rentabilidade. O esperado pelo mercado é que o Comitê de Política Monetária (Copom) faça mais um aumento de 0,75 ponto percentual na taxa de juros.

Ele recomenda que toda aplicação e cenário econômico seja avaliado com calma e de forma sólida. “É importante olhar também a qualidade do imóvel investido. Não vendemos apenas um título de renda fixa”, avaliou ele, durante o Day Touro.

Ele disse que, comparado com a CDI, os Fundos Imobiliários não sofrem tributação e ainda tem um rendimento médio anual em torno de 6% ao ano. Ao passo que o CDI tem 5%, mas com incidência de impostos.