Day Touro traz Arthurito da Faria Lima e as histórias do Condado

Redação EuQueroInvestir
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Reprodução Day Touro

Com mais de uma década de experiência no mercado financeiro, Arthurito da Faria Lima lançou seu perfil no Instagram, em agosto de 2020, em meio ao “ócio da pandemia”, para comentar os bastidores do Condado da Faria Lima.

“Eu brinco que o personagem reflete aproximadamente 90% da minha verdadeira identidade”, diz, acrescentando que “a grande referência” no jeito de se comunicar vem do Faria Lima Elevator, “padrinho do projeto”, de quem é amigo.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

Arthurito da Faria Lima é um dos convidados do Day Touro, o evento que vai agitar o Mercado Financeiro, totalmente online e gratuito, no dia 5 de maio, comandado por Pablo Spyer – uma das poucas pessoas no mercado que conhecem sua verdadeira história.

Envolto em mistério, Arthurito revelou que tem 30 anos de idade, mas evitou dar maiores detalhes, por exemplo, de sua formação, “em tempos de tanta polêmica entre Insper e FGV”.

Questionado sobre o que mudou em sua vida após o sucesso nas redes sociais, diz que pouca coisa mudou. “Faço as mesmas coisas, ando com as mesmas pessoas, minha ocupação também segue a mesma. Talvez a única diferença é que hoje me mandam Negroni de presente em casa”,

Veja agora a entrevista de Arthurito ao portal EuQueroInvestir.

Como você vê o atual momento do mercado?

Apesar de todos os problemas inerentes ao Brasil, vejo hoje a bolsa brasileira barata e com boas oportunidades. Apesar da alta recente, a taxa de juros estruturalmente baixa tem ajudado o amadurecimento do mercado de capitais, a migração de novos investidores para bolsa e o ecossistema de tecnologia, que foi especialmente beneficiado por conta da agenda de digitalização que segue em curso por conta da pandemia.

Qual as lições aprendidas com a pandemia?

Aprendi que a capacidade de adaptação é uma das habilidades mais importantes para o ser humano e para os negócios. Aprendi também a importância de mantermos a saúde mental em dia e que happy hour virtual é uma das coisas mais chatas inventadas pelo ser humano.

Quais as perspectivas do cenário pós-pandemia?

A vacina é a melhor politica econômica. Claro que o ritmo poderia estar melhor, mas com quase 15% da população vacinada começamos a ter mais esperança de uma retomada econômica.

Quais legados devem ficar?

Claro que ficam alguns legados, principalmente na aceleração da tecnologia em muitos setores. Sobre Brasil, a expectativa é sempre neutra, a impressão é que sempre que estamos muito bem algo nos puxa para baixo [como no Joesley Day] e, por outro, lado sempre que estamos indo para o buraco algo de bom acontece.

Day Touro: inscrições abertas para o evento que vai agirar o mercado financeiro

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3