Davos: Trump deve comparecer; Irã cancela participação

Fernando Augusto Lopes
null

Crédito: Divulgação / WEF20

As tensões entre Estados Unidos e Irã chegaram também ao Fórum Econômico Mundial em Davos. O encontro anual talvez tenha a participação de Donald Trump, em contrapartida o chanceler iraniano, Mohammad Javad Zarif cancelou sua ida à Suíça. A informação é da própria organização do encontro.

Borge Brende, presidente do fórum, disse em entrevista nessa terça-feira (14) que compreende a posição iraniana: “temos que entender o cancelamento do ministro das Relações Exteriores do Irã, Zarif, diante do cenário de incerteza na região e o que está ocorrendo no Irã”.

Trump não foi ao encontro em 2019. A última vez em que esteve no Fórum foi em 2018. Do lado iraniano, nenhuma outra autoridade está na lista de participantes de Davos, que inclui os presidentes do Iraque e do Afeganistão e outra três mil pessoas, entre autoridades mundiais e empresários.

Autoridades

Segundo a Reuters, cerca de 53 chefes de Estado devem viajar a Davos, incluindo a alemã Angela Merkel e o espanhol Pedro Sanchez, bem como 35 ministros de finanças e 30 ministros de pastas relacionadas ao Comércio.

Entre os participantes, estão o secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, e o representante de comércio dos EUA, Robert Lighthizer. Ivanka Trump, filha do presidente Donal Trump, e seu marido, Jared Kushner, também estão na delegação dos EUA. A presença de Trump ainda precisa ser formalmente confirmada.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

Greta Thunberg

Outra estrela que deve pousar em Davos é a adolescente Greta Thunberg, a ativista e ambientalista de 17 anos que desencadeou um movimento global de protestos contra as mudanças climáticas. Será sua segunda participação no Fórum. Sua participação será em um debate chamado “Evitando um Apocalipse Climático”.

Klaus Martin Schwab, fundador e presidente-executivo do Fórum, disse a jornalistas que “o mundo está em estado de emergência e a janela para agir está se fechando rapidamente”. Ele revela que uma iniciativa pública-privada será lançada em Davos com o objetivo de “plantar 1 trilhão de árvores até o final desta década”.

A iniciativa terá participação da Colômbia e multinacionais. De acordo com um dos diretores do Fórum, Dominique Waughray, a parcela da floresta brasileira também será beneficiada pela iniciativa e, se vingar, o projeto poderá contribuir para retirar 25% do CO2 excedente na atmosfera. Dezenas de ministros relacionados ao Meio Ambiente e especialistas em clima também estarão na estação alpina no final de janeiro. Jair Bolsonaro, presidente brasileiro, porém, confirmou que não vai participar. Nenhum representante do Meio Ambiente do Brasil está presente.

O Fórum Econômico Mundial foi fundado em 1971 por Schwab, um professor de administração na Suíça. Em 2020, acontece a 50ª edição, entre 21 e 24 de janeiro.

Sua carteira de investimentos está preparada para aproveitar a retomada de crescimento do Brasil? Essa pode ser a oportunidade da sua vida!

Deixe seus dados abaixo e nossa equipe entrará em contato para lhe ajudar.

Ou se preferir, ligue direto para 4007-2374.