CVM anuncia desistência de IPOs de mais quatro empresas

Victória Anhesini
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie
1

Crédito: Divulgação/ CVM

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) anunciou nesta quarta-feira (14) que mais quatro empresas desistiram de suas ofertas iniciais de ações (IPO) no começo de outubro.

De acordo com o documento publicado, a plataforma de aluguel de apartamentos mobiliados Housi, a fornecedora de medicamentos genéricos Elfa, a construtora Patrimar e a comercializadora de eletricidade 2W Energia entraram na lista de desistência.

Agora, são 11 empresas empresas que preferiram recolher os planos de estreia na B3 (B3SA3).

Perdeu a Money Week?
Todos os painéis estão disponíveis gratuitamente!

O movimento de retirada das ofertas é sintoma das preocupações sobre a crise sanitária ainda presente no país. Portanto, o plano de buscar recursos no mercado para financiar projetos de expansão tem se mostrado frustrante.

Ambiente favorável

Entretanto, ainda há 42 companhias à espera de registro da CVM para levarem seus IPOs adiante. O mercado de capitais brasileiro vive um verdadeiro boom de IPOs. Duas delas, a rede hospitalar Rede D’Or e o grupo educacional Cruzeiro do Sul, submeteram seus pedidos em outubro.

Apenas em 2020, 58 companhias protocolaram o pedido de autorização para abertura de capital junto à CVM. Desse número, 20 empresas já estrearam, movimentando mais de R$ 27,2 bilhões, conforme dados da comissão.

As companhias brasileiras tentam emplacar seus IPOs para aproveitar o fato de o mercado estar líquido, devido ao aumento dos investidores pessoas físicas na B3. O número passou de 619,6 mil em 2017 para 2,65 milhões até junho de 2020.

O fato da Selic estar na mínima histórica de 2% ao ano também contribuiu para maior procura por ações

Desaceleração de IPOs

Por outro lado, outras empresas também avaliam aguardar um melhor momento para venderem suas ações. Principalmente depois que algumas das que recém estreadas na bolsa tiveram que se submeter a preços abaixo do que desejavam para levarem suas ofertas adiante.

A construtora Melnick (MELK3) e a varejista Grupo Mateus (GMAT3) venderam ações no piso da faixa indicativa, enquanto as construtoras Lavvi (LAVV3), Plano & Plano (PLPL3) e Cury (CURY3), além de rede de farmácias Pague Menos (PGMN3) aceitaram concluir seus IPOs a preços abaixo do intervalo estimado.

Outras quatro companhias – You Inc, Riva 9, BR Partners e Compass – desistiram. Seis suspenderam o processo, entre elas a Caixa Seguridade, e as demais estão em andamento.