CVM multa Ernst & Young Auditores Independentes por irregularidades em auditoria

Felipe Moreira
Felipe Moreira é Graduado em Administração de empresas e pós-graduado em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 6 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Reprodução/ Wikimedia Commons

A Comissão de Valores (CVM) multou Ernst & Young Auditores Independentes e sócio responsável, Cláudio Camargo por irregularidades na prestação de serviços de auditoria independente das demonstrações financeiras da Companhia Iguaçu de Café Solúvel, nesta terça-feira (30).

As condenações são referentes ao exercício encerrado em 31 de dezembro de 2011, originalmente publicadas em 27/3/2012. A Ernst & Young não observou nos trabalhos de auditoria, as seguintes normas brasileiras de contabilidade vigentes à época.

Além disso, não emitiu tempestivamente relatório circunstanciado sobre controles internos e procedimentos contábeis da companhia.

O somatório de multas aplicadas pela CVM atingiu a cifra de R$ 570 mil. Sendo R$ 400 mil atribuído a Ernst e Young e a Cláudio Camargo R$ 170 mil.

Em 2017, os acusados apresentaram proposta conjunta de pagar os valores de R$ 170 mil e R$ 85 mil.

Após tentativa de negociação com o Comitê de Termo de Compromisso (CTC), os acusados apresentaram nova proposta, com o aprimoramento dos valores, sendo R$ 237 mil para a EY e R$ 118 mil para Cláudio Camargo.

A CVM ainda condenou o conselheiro de administração da Iguaçu Café, Luiz Fernando Júlio à multa de R$ 250 mil.

Júlio foi responsabilizado pelo descumprimento do dever de diligência e descumprimento do dever de fiscalizar a gestão da diretoria, em um contexto de esquema fraudulento envolvendo uma das controladas da Iguaçu.