CVC (CVCB3): piores momentos já passaram e Eleven recomenda compra

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Divulgação/ CVC

A CVC (CVCB3) já passou pelo seu momento mais crítico e a visão agora é positiva, afirma a Eleven. A atualização dos balanços financeiros e a repactuação de suas debêntures podem ser considerados um “divisor de águas” para CVC.

Assim, a Eleven passou a recomendar a compra do ativo. Isso levando em consideração uma visão mais a longo prazo e considerando que o pior momento – tanto do ponto de vista financeiro quanto dos fundamentos – ficou para trás.

O relatório da Eleven ressalta que agora a CVC está em dia com a CVM. Após meses de balanços atrasados, a empresa divulgou os resultados do 3TRI20 em 13 de novembro.

Os resultados em si não justificam a forte valorização das ações da CVC, diz a Eleven, até porque eles refletem os ajustes contábeis realizados e o impacto da Covid-19 nos negócios.

Mas o que justifica a valorização de cerca de 300% das ações nos últimos seis meses foram, basicamente, dois fatores:

  • A conclusão do processo de repactuação das debêntures ao fim de novembro;
  • O fluxo positivo de notícias referente a vacinas contra a Covid-19.

As ações da CVC passaram de R$ 6,50 em março para o atual patamar de R$ 20. A recomendação de compra da Eleven é de até um preço-teto de R$ 30.

  • Confira os resultados do 3TRI20 da CVC.

Fatores positivos para a CVC

Os analistas Daniela Bretthauer, Eric Huang e Tales Granello ressaltam que o acordo com os debenturistas para renegociação da dívida garante a continuidade dos negócios da CVC Corp.

Assim, combinado ao aumento de capital de julho, a empresa ganha fôlego financeiro até a retomada da sua performance operacional. Isso somado à expectativa da vacina contra Covid-19, que deve dar mais segurança aos clientes para retomarem suas viagens.

Entre os fatores que levam a essa positividade para o setor de viagens estão o aumento das buscas por viagens no Google trends, a retomada da taxa de ocupação nos voos domésticos operados pelas cias aéreas e o aumento das consultas, reservas e orçamentos de viagens junto às agências de turismo e a própria CVC.

Recuperação mais rápida e mais participação no mercado

A Eleven também revisitou o take-rate considerado para a CVC, diante dos resultados apresentados no 3T20.

Assim, a curva de recuperação da receita líquida foi revista com uma recuperação mais rápida do que inicialmente esperado.

“Estimamos uma volta de rentabilidade também mais acelerada, diante das iniciativas de reorganização estrutural e buscas por maiores eficiências operacionais. Desta forma, elevamos nosso preço-alvo para R$ 30,00 de R$17,00 para 46% de upside. Alteramos nossa recomendação para compra (anterior neutra)”, explicam os analistas.

Como muitos concorrentes não deverão sobreviver, a expectativa é que a CVC ganhe participação de mercado.

Com a atual posição de caixa da empresa e a recente negociação das debêntures, a empresa conta com capital de giro e está preparada para suportar o movimento de retomada, diz a Eleven.

Ainda que o papel acumule alta de 20% desde a assembleia de debenturistas, a Eleven afirma que ainda existe um desconto significativo considerando o cenário mais positivo adiante para a CVC.

O papel negocia a um múltiplo de 10,6x PE 2021E, vs uma média histórica de 18,7x. Ou seja, desconto da ordem de 40%.

Em relação ao múltiplo de EV/EBITDA estimado para 2021, os analistas também observam um desconto.