CSN (CSNA3) vende R$ 1,3 bi de ações PN da Usiminas (USIM5)

Matheus Gagliano
Colaborador do Torcedores
1

A Companhia Siderúrgica Nacional – CSN (CSNA3) vendeu nesta sexta-feira (7) R$ 1,3 bilhão de ações preferenciais (PN) na Usiminas (USIM5). Os papéis foram negociados em leilão na B3. Essa operação se deu uma década após a CSN, controlada pelo empresário Benjamin Steinbruch, ter tentado obter o controle da companhia de origem mineira.

De acordo com matéria do Estadão, a CSN vendeu 56 milhões de ações preferenciais. Esse volume de ações representa metade da posição da companhia siderúrgica no capital societário da Usiminas.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

CSN (CSNA3): nova venda só após 45 dias

A matéria do jornal informou ainda que a CSN teria se comprometido a vender o restante de suas ações somente após um período de 45 dias. A ideia da empresa é manter apenas os papéis ordinários (ON).

As ações ON são aquelas que dão direito a voto, ao passo que as PN, não dão. Mas uma decisão do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE), determina que a mineradora acionista da Usiminas, se abstenha de exercer esse direito.

Isso porque, no mercado, se tratam de duas empresas concorrentes. Daí poderiam surgir problemas políticas identificados pelo CADE.

Ações da Usiminas caem após venda de ações PN na B3

Após essa operação, os papéis da Usiminas registravam forte queda. Por volta do meio-dia, as ações eram negociadas a R$ 22,82, sendo uma retração de aproximadamente 3%. Mais para o fim do dia, o desempenho melhorou um pouco e já era negociado com uma queda menos acentuada, de 2,67%, com o preço de R$ 22,94 por ação.

No primeiro trimestre do ano, a CSN havia conseguido reverter prejuízo e obteve lucro líquido de R$ 5,697 bilhões. Nos três primeiros meses do ano passado, o prejuízo foi de R$ 1,31 bilhão.

O Ebitda ajustado atingiu R$ 5,806 bilhões no 1TRI21, ou 23% superior em relação ao trimestre anterior. O Ebitda ajustado cresceu 336% em relação ao primeiro trimestre do ano passado.

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3