CSN (CSNA3) precifica reabertura de oferta de US$ 300 mi em notes

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)
1

Crédito: Divulgação

A Companhia Siderúrgica Nacional (CSNA3) informou nesta terça (10) que precificou a reabertura da oferta de títulos de dívida.

São notes emitidos em janeiro deste ano no mercado externo pela subsidiária CSN Inova Ventures.

A oferta de títulos totaliza US$ 300 milhões, com vencimento em 2028 e juros de 6,750% ao ano. segundo a CSN.

Tio Huli, EconoMirna, Natalia Dalat e outros tubarões do mercado de Investimentos.

Não perca!

“As notes serão garantidas, incondicional e irrevogavelmente, pela companhia”, diz a CSN em comunicado.

“Foram ofertadas a um preço de emissão de 101,295% do valor do principal mais juros acumulados, representando uma remuneração, até o vencimento, de 6,520% ao ano”, especifica.

O valor total de principal das notes, considerando a emissão de US$ 1 bilhão em 28 de janeiro de 2020, é de US$ 1,3 bilhão.

CSN (CSNA3) protocola oferta pública de ações da CSN Mineração

CSN: liquidação dos notes

A CSN comunica que a liquidação das notes está prevista para 16 de novembro de 2020.

“A companhia tem a intenção de utilizar os recursos líquidos captados por meio de notes para refinanciar dívidas e fins corporativos diversos”, acrescenta o comunicado da empresa.

“Os títulos foram oferecidos a investidores institucionais qualificados em conformidade com a lei de mercado de capitais dos Estados Unidos e alterações posteriores.”

Setor siderúrgico retorna ao nível pré-pandemia após baque no 2TRI

CSN (CSNA3) reverteu prejuízo em lucro de R$ 1,2 bi no 3TRI

Em 15 de outubro, a CSN (CSNA3) divulgou o balanço do terceiro trimestre de 2020.

A empresa reportou um lucro líquido R$ 1,261 bilhão entre julho e setembro últimos.

Reverteu o prejuízo de R$ 870,6 milhões em igual período de 2019.

As vendas de aço atingiram 1,278 mil toneladas no período, um crescimento de 19%.

O resultado financeiro foi negativo em R$ 156 milhões, contra despesa de R$ 840 milhões em igual período de 2019.

De acordo com a CSN, o desempenho foi puxado pela valorização das ações da Usiminas que gerou ganho sem efeito caixa de R$ 537 milhões.

Ebtida da CSN dispara

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebtida, na sigla em inglês) ajustado somou R$ 3,506 bilhões, uma elevação de 124%.

Enquanto a margem Ebtida ajustado ficou em 39%, baixa de 13,9%.

Conforme a empresa, o resultado foi em função de aumento no volume das vendas, principalmente volume de aço vendido no mercado interno e minério de ferro no mercado externo.

Receita cresce 45%

A receita líquida somou R$ 8,7 bilhões no terceiro trimestre, um aumento de 45% sobre o mesmo período de 2019.

O lucro bruto subiu 119% no trimestre, atingindo R$ 3,581 bilhões. Já margem bruta foi de 41,1% no terceiro trimestre.

De acordo com a CSN, o resultado foi puxado principalmente pelo desempenho positivo em cimentos, siderurgia e mineração.

Leia mais aqui

Money Week vem aí, de 23 a 27 de setembro. Inscreva-se

Teste de impairment: para que serve e qual a sua importância?

Analistas: vitória de Biden nos EUA pode favorecer bolsa brasileira

Se você quer investir no mercado de renda variável preencha o formulário abaixo que um assessor da EQI Investimentos vai entrar em contato