Monitor CVM: Rumo (RAIL3) pagará R$ 511 mi em provento; CCRO3 capta

Marcia Furlan
Jornalista com mais de 30 anos de experiência. Trabalhou na Editora Abril e Agência Estado, do Grupo Estado, como repórter e editora de Economia, Política, Negócios e Mercado de Capitais. Possui MBA em Mercado de Derivativos pela FIA.

Crédito: Beth Santos/Secretaria-Geral da PR

A Rumo comunicou que irá propor, em assembleia geral ordinária (AGO) programada para o dia 30 de abril, pagar aos acionistas, em forma de dividendos, o valor de R$ 0,711 por ação ordinária; R$ 0,782 por ação preferencial classe A; e R$ 0,711 por ação preferencial classe B. Em Juros sobre Capital Próprio (JCP), os valores serão de R$ 0,427; R$ 0,470 e R$ 0,427, respectivamente.

O total a ser distribuído é de R$ 511,70 milhões. Outros R$ 340 milhões já tinham sido pagos como dividendos antecipados.

A empresa informou que 100% do lucro líquido ajustado será distribuído.

A data de pagamento proposta é até o 60º dia após a realização da AGO.

CCR (CCRO3) imitirá R$ 400 milhões em notas

A CCR vai realizar a terceira emissão de notas promissórias comerciais no valor de R$ 400 milhões. Serão 10 notas de R$ 40 milhões cada, todas com prazo de 365 dias. Os recursos captados, segundo a empresa, serão para reforçar o caixa da companhia. A remuneração oferecida pela companhia é a taxa DI mais 3,98% ao ano.

Raízen, do grupo Cosan (CSAN3), suspende guidances

A Raízen, que pertence ao Grupo Cosan, informou que está suspendendo os guidances financeiros e operacionais para os anos de 2020 e 2021, em razão do cenário de incertezas originados pela pandemia do Covid-19. No dia 14 de fevereiro, a companhia tinha divulgado as seguintes projeções para a safra 2020/2021: 61 milhões a 64 milhões de toneladas de cana moída; Ebitda de R$ 3,5 bilhões a R$ 3,9 bilhões; e investimentos de R$ 2,85 bilhões a R$ 3,05 bilhões.