Cristina Junqueira: a cofundadora e atual CEO do Nubank no Brasil

Carla Carvalho
Graduada em Ciências Contábeis pela UFRGS, pós-graduada em Finanças pela UNISINOS/RS. Experiência de 17 anos no mercado financeiro, produtora de conteúdo de finanças e economia.

Crédito: Nubank

Recentemente, Cristina Junqueira foi eleita a segunda mulher mais importante do universo das fintechs pela revista britânica FinTech Magazine.

A engenheira paulista é uma das cofundadoras do Nubank, banco digital fundado em 2013. Depois da captação de US$ 400 milhões realizada em janeiro de 2021, a startup passou a ser considerada a quarta maior instituição financeira da América Latina.

Acesse esse material especial para avaliar resultados, performance e dividendos dos melhores FIIs no mercado.

Quer saber mais sobre a origem e trajetória de Cristina Junqueira? Então, continue a leitura e confira a seguir!

Formação e início da carreira de Cristina Junqueira

Cristina Junqueira é formada em Engenharia de Produção e mestre em Engenharia pela Universidade de São Paulo (USP). Enquanto estudava na USP, foi analista interna no Itaú Unibanco. Logo após, chegou a ser consultora na Booz Allen Hamilton e, depois, no Boston Consulting Group.

Você sabia que algumas das maiores oportunidades de ganhos da bolsa estão nas Small Caps? Quer saber mais sobre essas ações e como investir? 

Porém, em 2007, mudou-se para os Estados Unidos para cursar MBA na  Nortwestern University, renomada instituição de negócios norte-americana. Ao concluir o curso, retornou ao Brasil para um cargo de liderança no Itaú Unibanco. Na ocasião, Cristina tinha 24 anos, e toda a equipe que liderava era mais velha do que ela.

Apesar do sucesso como executiva financeira, Cristina decidiu dar novo rumo a sua vida profissional. Isso porque, segundo ela, suas ideias inovadoras não eram tão bem aceitas em uma instituição tão tradicional. Por isso, em 2013, seis anos depois de ter assumido o cargo de liderança no Itaú Unibanco, a engenheira decidiu sair da instituição para pensar em um negócio totalmente inovador.

Segundo Cristina, ao sair da antiga instituição ainda não havia um plano profissional desenhado. Ao contrário, a sua ideia era justamente encontrar um novo direcionamento, que lhe desse a chance de colocar em prática as inovações que tanto desejava.

Pouco tempo depois, firmou parceria com o colombiano David Vélez, funcionário da General Atlantic, empresa de growth equity (capital de crescimento). Vélez estava no Brasil desde 2007, e trabalhava com capital de risco na General Atlantic.

Início do Nubank

Basicamente, alguns dos principais fatores que motivaram a criação do Nubank foram o atendimento precário do sistema bancário e as altas taxas cobradas pelas instituições financeiras tradicionais.

Por um lado, Cristina Junqueira estava bastante decepcionada com a realidade que acompanhava como gestora de um banco. Por outro, Vélez percebeu essas deficiências assim que precisou abrir uma uma conta quando chegou ao Brasil. Inclusive ele chegou a propor a alguns bancos brasileiros uma reformulação nos seus sistemas de atendimento e tarifas. No entanto, não foi ouvido.

Dessa forma, Cristina Junqueira, David Vélez e, logo depois o americano Edward Wible, juntaram-se para a criação do Nubank. Nesse sentido, os três sócios tinham em comum a busca por inovação e o desejo de melhorar os serviços bancários.

No início, todas as tarefas eram executadas pelos três sócios. Inclusive, Cristina Junqueira era a responsável pelo atendimento aos clientes. Dessa foram, todas as ligações 0800 eram direcionadas para o seu celular.

Atualmente, o Nubank é o banco digital mais popular do mundo, com mais de 26 milhões de clientes ativos. Em 2018, seu valuation atingiu US$ 25 bilhões e, hoje, é considerado o quarto maior banco da América Latina, atrás do Itaú Unibanco, Bradesco e Santander.

Cristina e a liderança feminina

Na edição de 2020, a Revista Forbes considerou Cristina Junqueira uma das mulheres mais poderosas do Brasil. Na ocasião, a empreendedora posou para a foto às vésperas de dar a luz a sua filha.

Além disso, Cristina também foi a primeira brasileira do setor financeiro a integrar a lista 40 Under 40 da revista Fortune. Em relação ao reconhecimento, ela declarou que “era um dos resultados de todo o trabalho feito pelo Nubank até o momento”. Nesse sentido, Cristina ressalta a transformação promovida pela startap quanto à forma como os brasileiros passaram a lidar com o próprio dinheiro e com os serviços financeiros.

Em abril de 2021, Cristina Junqueira foi anunciada como a nova CEO do Nubank no Brasil. Vélez, que ocupava o cargo anteriormente, passou a ser a liderança global do banco, um posto que, até então, não existia na instituição.

Em relação à mudança da estrutura de gestão, o Nubank declarou à imprensa que o processo faz parte da governança corporativa. Isto é, trata-se de um passo natural com vistas à expansão internacional  do Nubank.

Um dos principais exercícios para a compra de uma ação é saber se ela está cara ou barata. Para isso, preparamos um material especial para ajudá-lo nesta análise.