EUA: inflação ao consumidor sobe 0,5% em julho, dentro da projeção; núcleo sobe 0,3%

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Flickr

O Índice de Preços ao Consumidor (CPI na sigla em inglês) dos Estados Unidos subiu 0,5% em julho ante junho, dentro do consenso. Na comparação com julho de 2020, a alta foi de 5,4%, ante projeção de 5,3%.

O núcleo do CPI, que exclui alimentos e combustíveis, subiu 0,3%, ante projeção de 0,4%. Na comparação anual, a alta é de 4,3%, dentro do esperado e abaixo dos 4,5% da leitura de junho.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

O destaque de alta foi o subgrupo de Energia, acelerando 1,6%, com gasolina apresentando alta de 2,4%, impulsionada pela alta no preço do petróleo nos mercados internacionais.

O grupo de carros usados apresentou alta de 0,2%, após apresentar avanço de 10,5% em junho, o que reforça o diagnóstico de transitoriedade.

O grupo de Alimentos apresentou alta de 0,7%, ante 0,8% em junho. Já Abrigo recuou de 0,5% para 0,4%, segmento que pode indicar um caráter menos transitório nos preços.

As informações foram divulgadas nesta quarta-feira (11) pelo Bureau of Labor Statistics, do Departamento de Trabalho americano.

Amanhã sai a inflação para o produtor dos EUA. Dados de inflação acima da expectativa podem aumentar as apostas de antecipação do tapering (retirada de estímulos) e da alta dos juros antes do inicialmente previsto pelo Federal Reserve (Fed).

O presidente do Fed, Jerome Powell, vem reiterando a interpretação de que a aceleração dos preços é transitória, decorrente de uma demanda maior que a oferta com a reabertura da economia. O dado de hoje pode ser interpretado como uma acomodação da inflação, confirmando a tese do Fed, o que tende a tranquilizar o mercado.

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3

CPI: Variação (%) em 12 meses, por categorias, sem ajuste sazonal

CPI

Reprodução/Departamento de Trabalho