CPFL Energia (CPFE3) paga dividendos; SulAmérica (SULA11) aumenta capital

Felipe Moreira
Editor na EuQueroInvestir, cobre temas que vão desde o mercado de ações ao ambiente econômico nacional e internacional.
1

Crédito: Divulgação

A CPFL Energia (CPFE3) anunciou a distribuição de dividendos, no montante de R$ 2,075 bilhões, equivalentes a R$ 1,800973412 por ação ordinária de emissão da companhia.

Conforme a CPFL, o pagamento será efetuado em 30 de novembro de 2020.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

Farão jus aos dividendos os acionistas detentores de ações em 27 de julho de 2020.

SulAmérica (SULA11) aprova aumento de capital de R$ 300 milhões, com bonificação de ações

A SulAmérica aprovou o aumento do capital social da companhia mediante capitalização de parte do saldo da conta de reserva estatutária no valor de R$ 300 milhões.

Em razão do aumento, foram emitidas 22.238.695 novas ações, sendo 11.146.758 ações ordinárias e 11.091.937 ações preferenciais, atribuindo-se aos acionistas, a título de bonificação, 18,8071133 novas ações ordinárias para cada lote de 1.000 ações ordinárias e 18,8071133 novas ações preferenciais para cada lote de 1.000 ações preferenciais detidas em 26 de novembro de 2020.

Dessa forma, o capital social da SulAmérica passa a ser de R$ 3,619 bilhões, dividido em 1.204.700.598 ações, sendo 603.835.151 ações ordinárias e 600.865.447 ações preferenciais.

A data prevista para o crédito das ações decorrentes da bonificação aos acionistas é 1º de dezembro deste ano.

CVC apresenta fato relevante sobre a renegociação de debêntures

A CVC (CVCB3) concluiu reestruturação de dívidas da 2ª, 3ª e 4ª emissões de debêntures, com valor de face em aberto de R$ 1,5 bilhão, conforme fato relevante publicado hoje (20).

A empresa realizou o alongamento parcial da dívida de curto prazo relacionada a 2ª emissão de debêntures (CVCB12), passando de 21 de novembro de 2020 para 21 de novembro de 2021.

A CVC também realizará o pagamento de 10% do montante total das dívidas em 23 de novembro de 2020, com exceção da CVCB12, cujo pagamento será de 57% do montante total.

De acordo com a CVC, a amortização do saldo da CVCB12 acontecerá de forma mensal a partir de março de 2021 até a nova data de vencimento.

Em relação ao saldo da 3ª emissão pública de debêntures (CVCB13), a companhia informou que serão pagos R$ 51 milhões em março de 2021, e o restante em parcelas mensais a partir de julho de 2021 até seu vencimento. A CVC destacou que a CVCB12 e CVCB13 podem ter a forma de amortização alterada caso seja verificado aumento de capital da companhia até 28 de fevereiro de 2021.

Restrição ao pagamento de dividendos

A CVC ainda anunciou a restrição quanto ao pagamento de dividendos, com exceção do dividendo mínimo obrigatório até 31 de dezembro de 2022 ou até que até que seja verificado alavancagem financeira Dívida Líquida/EBITDA seja igual ou inferior a 3,5 vezes.

Além disso, a CVC decidiu pela verificação de novos covenants financeiros e firmou compromisso da implementação de evento de liquidez pela Companhia até 30 de setembro de 2021. Caso isso não aconteça, a CVCB12 deverá ser paga integralmente e a CVCB13 continuará com seu fluxo acordado de amortização. Enquanto a CVCB14 e CVCB24 terão o direito de subscrever com seus respectivos créditos novas ações da companhia em aumento de capital cuja realização é condicionada a não implementação do evento de liquidez até 30 de setembro de 2021.

Leia Mais

Dividendos: confira as ações mais recomendadas para novembro

Teste de impairment: para que serve e qual a sua importância?

Se você quer saber mais sobre o mercado de ações e como investir, preencha o formulário abaixo que um assessor da EQI Investimentos entrará em contato.