Covid-19 no país: número de casos confirmados sobe para 2433, com 57 mortes

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)

Crédito: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O balanço da pandemia no Brasil, divulgado nesta quarta (25) pelo ministério da Saúde, indica que o número de pacientes diagnosticados com Covid-19 aumentou para 2433 casos.

O resultado de hoje marcou um aumento de 28% nos casos em relação ao início da semana, quando foram contabilizadas 1.891 pessoas infectadas.

Há registros de 57 mortes, com os primeiros óbitos relatados pelas secretarias de saúde do Amazonas, Rio Grande do Sul e Pernambuco, um em cada estado.

A taxa de letalidade da doença no país é de 2,4%.

Segundo o ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, que falou pela primeira vez após o controverso pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro desta terça (24), os números estão dentro do esperado.

“Mas devem subir muito nas próximas semanas. Repito: teremos dias difíceis pela frente”, admitiu o ministro em entrevista coletiva concedida em Brasília.

Isolamento

Mandetta garantiu que fica no cargo apesar dos rumores que davam conta de que pediria demissão após o discurso do presidente: “Só saio daqui se estiver doente ou se o presidente me mandar embora.”

Reportagem no jornal O Estado de S. Paulo informava que a equipe de Mandetta teria ficado incomodada com a fala de Bolsonaro.

O presidente condenou o isolamento e a quarentena recomendados pelo ministério da Saúde e pela Organização Mundial da Saúde.

Mandetta disse apenas na entrevista que o ministério compreende a preocupação do presidente com o impacto do isolamento e das restrições de circulação na economia do país.

“A quarentena é um remédio amargo, mas necessário para conter o avanço da doença infecciosa e de capacidade alta de transmissão”, ponderou Mandetta.

Balanço de casos de Covid-19 no país

O ministério forneceu mais informações sobre o balanço da expansão do coronavírus no Brasil.

Pela primeira vez desde o início da pandemia, foram registradas mortes fora dos epicentros do surto no país, São Paulo e Rio de Janeiro, com os falecimentos em razão da Covid-19 em Pernambuco, Rio Grande do Sul e no Amazonas.

O total de mortes marca um aumento de 11 em relação a ontem, quando a contabilização marcava 46 vítimas que vieram a óbito por conta da infecção. Na segunda-feira, eram 25 falecimentos.

São Paulo com mais casos

Do total, 48 mortes ocorreram em São Paulo, seis no Rio de Janeiro, uma no Amazonas, uma no Rio Grande do Sul e uma em Pernambuco.

O total de casos confirmados saiu de 2.201 ontem para 2433 casos.

Como local de maior circulação do novo coronavírus no país, São Paulo também lidera o número de pessoas infectadas, com 862 casos confirmados.

Os estados que têm números mais altos de pacientes do coronavírus são Rio de Janeiro (370), Ceará (200), Distrito Federal (160), Minas Gerais (133) e Rio Grande do Sul (123).

Também registram casos confirmados Santa Catarina (109), Bahia (84), Paraná (81), Amazonas (54), Pernambuco (46), Espírito Santo (39), Goiás (29), Mato Grosso do Sul (24), Acre (23), Sergipe (16), Rio Grande do Norte (14), Alagoas (11), Mato Grosso (oito), Maranhão (oito), Piauí (oito), Roraima (oito), Tocantins (sete), Pará (sete), Rondônia (cinco), Paraíba (três), e Amapá (um).

O Ministério da Saúde recomenda o isolamento a quem apresenta sintomas da Covid-19 e a moradores da mesma residência do paciente sintomático, assim como a idosos acima de 60 anos, pelo prazo de 14 dias.

Uma vez terminado esse período, não haveria mais necessidade da medida, a não ser em casos de uma condição médica específica.

SP tem mortes de pacientes acima dos 70 anos

O último balanço divulgado no final da tarde de hoje (25) aponta que desde ontem oito pessoas morreram no estado de São Paulo por complicações relacionadas ao novo coronavírus.

Todos eles tinham idade acima dos 70 anos, com exceção de uma mulher de 52 anos, que tinha comorbidade.

Com isso, somam 48 o total de óbitos por covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus, no estado.

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, todos os novos óbitos ocorreram na capital.

As vítimas que tiveram a morte confirmada hoje pela doença são seis homens, com idades de 70, 72, 75, 80, 82 e 98 anos, e duas mulheres, de 52 e 87 anos.

Do total de mortes registradas no estado, 45 ocorreram em hospitais privados.

A secretaria informou ainda que os casos confirmados de coronavírus no estado passaram de 810 [registrado ontem] para 862, sendo 722 só na capital.

Centro de Tratamento do Covid-19

Diante do crescente aumento na demanda da rede pública de saúde, a Prefeitura de São Paulo em parceria com empresas e o Hospital Israelita Albert Einstein vão construir um novo Centro de Tratamento para a Covis-19, com 100 leitos que atenderão o público exclusivamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Construído anexo ao Hospital Municipal M’Boi Mirim – Dr. MoysésDeutsch, na zona sul de São Paulo, onde o Einstein já é responsável pela gestão, a nova área terá seus primeiros 40 leitos entregues em apenas 20 dias.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

O total de 100 leitos será finalizado até 30 de abril.

A unidade de saúde, posteriormente, será entregue à Prefeitura de São Paulo e passará a integrar a rede pública de saúde do município.

A Ambev (ABEV3) vai contribuir na gestão do projeto além do custo da construção.

A Gerdau (GGBR4) oferecerá o aço e fará a montagem de estruturas metálicas. E o Hospital Israelita Albert Einstein vai colaborar com a gestão do atendimento.

O equipamento de saúde vai possuir uma capacidade de expansão para até 200 leitos. Aproximadamente 200 profissionais entre médicos e equipe multidisciplinar, que integram a equipe do Hospital Israelita Albert Einstein, serão deslocados para a nova unidade, com atendimento 24h.

RJ contabiliza óbitos de idosos

Subiu para oito o número de mortos em decorrência do coronavírus no estado do Rio de Janeiro. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (25) pela Secretaria de Estado de Saúde (SES).

São mais dois mortos em comparação ao dia anterior. Os casos são de duas mulheres, moradoras do Rio, com 81 e 61 anos.

A capital lidera o número de pessoas mortas, com cinco vítimas.

Os outros óbitos foram registrados nas cidades de Barra Mansa, Niterói, Miguel Pereira e Petrópolis, com uma morte em cada.

Todas as oito pessoas eram idosas e tinham outras doenças ou problemas de saúde, também chamadas de comorbidades.

Em 24 horas, foram mais 65 casos confirmados, chegando a 370, divididos entre 12 municípios: Rio de Janeiro (331), Niterói (19), Volta Redonda (6), Petrópolis (3), São Gonçalo (3), Duque de Caxias (2), Barra Mansa (1), Campos dos Goytacazes (1), Guapimirim (1), Miguel Pereira (1), Resende (1) e Valença (1).

Além disso, há dois estrangeiros contaminados.

Casos pelo mundo

Há 460.250 casos confirmados de coronavírus em 172 países. O número de mortes é de 20.857, de acordo com a universidade John Hopkins, que trabalha em parceria com a OMS.

O epicentro da doença está na Europa; A Itália tem o maior número de casos (74.386), com 7500 mortes. Houve avanço na Espanha (62.873).

*com Agência Brasil

 

LEIA MAIS:
Equipe econômica quer reduzir medidas restritivas a partir de 7 de abril

MP tem artigo que permite que funcionário infectado possa ser demitido

Covid-19: Aneel não cortará energia de inadimplentes por 90 dias


Aproveite as oportunidades e aumente a rentabilidade dos seus investimentos.

Preencha seus dados abaixo e conte com especialistas para ajudar.

Se preferir, ligue direto para 4007-2374