Cotação recorde mais uma vez: dólar fecha em alta e chega a R$ 4,24

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)

O dólar comercial fechou em alta nesta terça (26) e chegou a R$ 4,24. A alta registrada foi de 0,59%. O valor representa novo recorde na cotação da moeda, a maior desde a criação do Plano Real, sem levar em conta a inflação.

Num dia tenso no mercado financeiro, a moeda chegou a ser negociada a R$ 4,28.  O Banco Central precisou intervir. Fez dois leilões de venda direta das reservas internacionais, de acordo com informações da Agência Brasil.

Em cada leilão, o BC arrecadou cerca de R$ 1 bilhão.

A cotação desta terça reforço a alta em novembro. No total do mês, a moeda teve valorização de 5,75%.

As altas recordes são creditadas à repercussão da entrevista com o ministro da Economia, Paulo Guedes, que na segunda (25), em Washington, disse não ter preocupação com a alta da moeda americana, que naquele dia havia fechado a R$ 4,21.

“O dólar está alto. Qual o problema? Zero. Nem inflação ele está causando. Vamos importar um pouco mais e exportar um pouco menos”, minimizou. E acrescentou que era “bom” o brasileiro se acostumar com juros mais baixos e com o câmbio mais alto “por um bom tempo”.

Recordes durante o dia

O dólar chegou a ser negociado a R$ 4,2771 nesta terça-feira.  O dólar turismo atingiu o patamar de R$ 4,46. Casas de câmbio online venderam dólar a R$ 4,51 em dinheiro vivo e R$ 4,73 no cartão pré-pago. O euro era vendido pelo mesmo aplicativo a R$ 5,21 no cartão pré-pago, R$ 4,97 em dinheiro.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

Reação do Banco Central

Por causa da alta registrada durante o dia, o BC respondeu por volta do meio-dia: promoveu um leilão extra para vender dólares à vista.

A taxa de corte do leilão foi de R$ 4,2320. Mais cedo, o BC promoveu também operação de venda à vista de dólares e de swap cambial reverso, que equivale à venda de dólar no mercado futuro.

Logo após a ação do Banco Central, o dólar desacelerou para o patamar de R$ 4,24 e se manteve nesse valor até o final da tarde.

LEIA MAIS:

Money Week: Heloisa Cruz mostra que investir é mais simples do que parece

Focus eleva previsão da inflação, do câmbio e do PIB para 2019