Coronavírus: Diplomata chinês critica “reação exagerada” ao surto

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.

Crédito: Aly Song / Reuters

A agência Reuters conversou, com exclusividade, com o ministro das Relações Exteriores da China sobre o coronavírus.

Wang Yi, uma das figuras mais importantes do governo chinês, reconheceu que o surto é um grande desafio para o país, mas criticou a “reação exagerada” das outras nações em relação ao assunto.

“Através de nossos esforços, a epidemia, em geral, está sob controle”, assegurou.

Descubra novos caminhos para multiplicar seu patrimônio. Aprenda hoje a investir R$ 300 mil com os melhores desempenhos.

Por conta disso, Wang Yi classificou como medidas extremas e desnecessárias as proibições de alguns países em relação às viagens para a China e à entrada de passageiros oriundos do país asiático em suas terras.

De acordo com o premier, a China adotou medidas até mais rigorosas no combate à epidemia do que as recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

“Nós fizemos esforços completos de prevenção e controle, esforços tão abrangentes que não vejo outro país que poderia fazer isso. A China conseguiu”, avisou o diplomata.

Elogios de Trump

Apesar de estar irritado com as atitude de alguns países em relação à China na crise, o governo está bem aos olhos de um dos maiores líderes do planeta.

Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, elogiou o presidente chinês, Xi Jinping, na batalha contra o coronavírus.

O presidente norte-americano, no entanto, não reconsiderou sua decisão de aconselhar os cidadãos de seu país a não viajarem para o epicentro do surto da doença, fato que desagradou à cúpula do governo chinês.

Números do coronavírus

A Comissão de Saúde de Hubei divulgou um boletim neste sábado (15), com os números mais recentes da epidemia de coronavírus no país.

Segundo o governo, o número de mortos chegou a 1.519, com 138 novas vítimas na província de Hubei, totalizando quase 66 mil pessoas infectadas na epidemia.

Companhias aéreas já perderam quase US$ 5 bilhões por causa do coronavírus

Idosa de 80 anos é primeira vítima do novo coronavírus no Japão