Coronavírus: China registra 242 mortes em apenas um dia

Marcelo Hailer Sanchez
Jornalista, Doutor em Ciências Sociais (PUC-SP) e Mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP). Pesquisador em Inanna (NIP-PUC-SP). Trabalhei nas redações do Mix Brasil, Revista Junior, Revista A Capa e Revista Fórum. Também tenho trabalhos publicados no Observatório da Imprensa e revista Caros Amigos. Sou co-autor do livro "O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente" (AnnaBlume).

Crédito: Reprodução

De acordo com informações da AFP, a província de Hubei, epicentro da epidemia de COVID-19, registrou, em apenas um dia, 242 novas vítimas. Com isso, o número de mortos passa de 1.350, segundo boletim divulgado pelas autoridades locais.

As autoridades sanitárias da China, em novo relatório, revelaram que há 14.840 casos de contágio em Hubei, ponto de partida da epidemia. Atualmente, cerca de 60 mil pessoas são portadoras do coronavírus.

O avanço do número de novos casos de contaminação ocorre depois que a Comissão de Saúde de Hubei mudou o método de diagnóstico: anteriormente as autoridades chinesas utilizavam testes padrão de ácido nucleico, agora, as imagens de pulmão dos casos suspeitos são consideradas suficientes para identificar o vírus, informa a AFP.

As autoridades chinesas alegam que, com o novo método de identificação do vírus, os pacientes passam a receber o tratamento “o mais rápido possível”. A Comissão de Saúde, em relatório, explicou que a mudança foi realizada “à medida que nossa compreensão da pneumonia causada pelo novo coronavírus se aprofunda e à medida que acumulamos experiência em diagnóstico e tratamento”.