China escondeu extensão do surto de vírus, diz Bloomberg

Rodrigo Petry
Editor-chefe, com 18 anos de atuação em veículos, como Estadão/Broadcast, InfoMoney, Capital Aberto e DCI; e na área de comunicação corporativa, consultoria e setor público; e-mail: rodrigo.petry@euqueroinvestir.com.
1

Crédito: Reprodução / YouTube

A China ocultou a extensão do surto do Covid-19, o novo coronavírus, em seu país, informa reportagem da Bloomberg publicada nesta quarta-feira (1).

Segundo a publicação, os chineses teriam subnotificando o total de casos e de mortes sofridas pela doença.

As conclusões fazem parte de um relatório confidencial da comunidade de inteligência americana enviado à Casa Branca, segundo três autoridades dos EUA.

Abra agora sua conta na EQI Investimentos e tenha acesso a soluções customizadas de acordo com seu perfil

“Os funcionários pediram para não serem identificados porque o relatório é secreto e se recusaram a detalhar seu conteúdo”, afirma a reportagem.

Entretanto, a avaliação é de que as informações públicas da China sobre casos e mortes sejam intencionalmente incompletas.

Duas autoridades disseram que o relatório conclui que os números da China são falsos, acrescentou.

O relatório foi recebido pela Casa Branca na semana passada, disse uma das autoridades à Bloomberg.

Surto

O surto começou na província chinesa de Hubei no final de 2019, mas o país registrou publicamente apenas cerca de 82.000 casos e 3.300 mortes, segundo dados compilados pela Universidade Johns Hopkins.

Isso se compara a mais de 189.000 casos e mais de 4.000 mortes nos EUA, que tem o maior surto relatado publicamente no mundo.

A equipe de comunicação da Casa Branca e da embaixada chinesa em Washington não respondeu imediatamente aos pedidos de comentários, informou a Bloomberg.

Ceticismo

Conforme a Bloomberg, sempre houve um ceticismo considerável dos números reportados da China, tanto fora como dentro do país.

“O governo chinês revisou repetidamente sua metodologia de contagem de casos, durante semanas excluindo totalmente as pessoas sem sintomas, e somente na terça-feira adicionou mais de 1.500 casos assintomáticos ao total”, afirma o texto.

“Pilhas de milhares de urnas fora de casas funerárias na província de Hubei geraram dúvidas públicas nos relatórios de Pequim”, acrescentou.

Números no mundo

covid-numeros-min

Fonte: Johns Hopkins University & Medicine

Falso

Além da China, autoridades ocidentais apontaram o Irã, a Rússia, a Indonésia e, principalmente, a Coréia do Norte, que não relataram um único caso da doença, como prováveis sub-contagens.

Outros, incluindo Arábia Saudita e Egito, também podem estar diminuindo seus números

Secretário de Estado dos EUA, Michael Pompeo exortou publicamente a China e outras nações a serem transparentes sobre seus surtos.

Ele acusou, conforme a Bloomberg, repetidamente a China de encobrir a extensão do problema e de ser lento em compartilhar informações, especialmente nas semanas após o surgimento do vírus, e bloquear ofertas de ajuda de especialistas americanos.

“Esse conjunto de dados é importante”, disse, em uma entrevista coletiva em Washington na terça-feira.

Conforme Pompeo, o desenvolvimento de medicamentos e iniciativas de saúde pública dependem “da capacidade de ter confiança e informações sobre o que realmente aconteceu”.

Curva de crescimento

Estados Unidos têm mais casos

covid-19-mais-afetados-1-min

Fonte: TradingView

China informa estabilização

covid-19-mais-afetados-2-min

Fonte: TradingView