Coronavírus: Ásia teme nova onda de contágios

Marcelo Hailer Sanchez
Jornalista, Doutor em Ciências Sociais (PUC-SP) e Mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP). Pesquisador em Inanna (NIP-PUC-SP). Trabalhei nas redações do Mix Brasil, Revista Junior, Revista A Capa e Revista Fórum. Também tenho trabalhos publicados no Observatório da Imprensa e revista Caros Amigos. Sou co-autor do livro "O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente" (AnnaBlume).
1

Crédito: Reprodução Aly Song / Reuters

No mundo

De acordo com último relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) há, até este momento, 4,1 milhões de casos confirmados e 286 mil mortes.

Brasil

Segundo a última atualização do Ministério da Saúde há, até este momento, no Brasil, 168.331 casos confirmados e 11.519 mortes.

Países da Ásia temem novo surto de coronavírus

Alguns países da Ásia, primeira região do mundo a ser atingida pelo coronavírus, informam o surgimento de novos casos de coronavírus. Anteriormente, esses países, por terem obtido um achatamento da curva, iniciaram políticas de flexibilização da quarentena.

A princípio, esses países vivenciavam um momento de abertura de pequenos comércios e alguns ramos da indústria, contudo, os médicos sempre se colocaram contra tal afrouxamento das políticas de confinamento.

Primeiramente, a China e a Coreia do Sul foram os primeiros países a relatarem novos focos de contágio. O governo chinês já decretou medidas de bloqueios na cidade de Shulan, nordeste da China. Ao mesmo tempo, a Coreia do Sul também voltou atrás no afrouxamento da quarentena e mandou fechar bares, clubes e boates.

Como resultado, um sinal amarelo foi aceso entre os investidores do mundo inteiro que, de acordo com os especialistas, vivenciavam momento de otimismo, mas, dessa forma, colocaram o pé no freio.

Alemanha registra 933 novos casos

ADe acordo com o Instituto Roberto Koch, a Alemanha registrou, nas últimas 24 horas, 933 novos casos. Com isso, o total de pessoas infectadas saltou para 170.508. À primeira vista, a Alemanha era tida como um modelo de combate ao coronavírus, porém, agora vive uma explosão de casos.

Por fim, mesmo como alto índice de contágio, o governo alemão confirmou que estuda o afrouxamento das regras de quarentena.

Filipinas aumenta bloqueio de algumas regiões

O governo da Filipinas revelou que vai estender a política de bloqueio em algumas regiões. Primeiramente, serão alguns “bloqueios rigorosos” em algumas áreas até o dia 15 de maio, de acordo com a Reuters.

Contudo, o presidente Duterte não especificou em quais regiões será mantido ou flexibilizado o bloqueio. Por último, o governo registrou 11.086 casos e 726 mortes, até este momento. Porém, há preocupação com a subnotificação.

Incêndio em hospital russo mata 5 pacientes com Covid-19

Um incêndio que ocorreu em uma enfermaria de terapia intensiva no hospital St. George, em São Petersburgo, matou cinco pacientes com Covid-19, de acordo com CNBC. A princípio, o incêndio pode ter sido causado por conta de uma curto-circuito em uma das máquinas de ventilação.

Por fim, a imprensa russa afirmou que o hospital St. George tinha sido reformado e reequipado em março para tratar os pacientes infectados com coronavírus.