Corona vírus pode impactar até 5 milhões de empresas no mundo, aponta estudo

Denisson Antunes
Editor e Redator de notícias. Especializado em Comunicação para Web, atua há 11 anos na área em colaboração com algumas das principais agências de notícias e publicidade do país.Escreve sobre tenologia, investimentos, mercado financeiro, política e economia para o portal de notícias Eu Quero Investir.
1

Crédito: Pixabay

O surto do Corona vírus tem espalhado seus terrores econômicos para muito além das fronteiras chinesas, podendo provocar impactos significativos em cerca de 5 milhões de empresas de todo o mundo. Foi nesse resultado que um estudo feito pela empresa global de análise de dados, Dun & Bradstreet, chegou.

O estudo em si levou em consideração aquelas regiões e províncias chinesas que mais estão sofrendo com o corona vírus. O resultado, é que essas localidades têm uma profunda relação com a economia global. Ou seja, o encerramento de atividades e fechamento de enormes regiões do país estão afetando significativamente a economia mundial, assim como já era esperado.

Segundo o levantamento da Dun & Bradstreet, 90% dos negócios ativos relacionados ao agronegócio da China estão situados em áreas que tiveram registros de 100 ou mais casos do Corona vírus.

E não somente isso, nessas áreas também estão situadas algo em torno de 49.000 negócios que atuam no país como filiais e subsidiárias de companhias estrangeiras.

Hong Kong é a casa sede de 49% dessas filiais, enquanto que os EUA conta com 19%, o Japão com 12% e, por fim, a Alemanha, com 5%.

Mais de 70 mil casos do Corona vírus foram confirmados até a última segunda-feira, somente em território chinês. A doença, até agora, provocou 1.770 mortes no país, segundo informações divulgadas pela Comissão Nacional de Saúde chinesa.

Os temores, os impactos já sentidos e uma perspectiva nada animadora para o futuro já fizeram como que as previsões de crescimento econômico de várias regiões do planeta fossem reavaliadas, tendo seus índices puxados para baixo.

Corona vírus e as perspectivas para o futuro

A Moody’s, por exemplo, soltou uma nota recentemente informando que uma nova revisão foi feita nas previsões de crescimento, sendo que, juntos, os países do G-20 devem crescer algo em torno de 2,4% em uma taxa anual, com a China tendo queda para 5,2%.

Para se ter uma idéia de como tudo isso tem provocado problemas a nível mundial, basta considerarmos as empresas áreas: 21 delas, tais como, Air France, United e Delta, cancelaram seus vôos para a China.

De acordo com a agência de viagens Cirum, somente nas três semanas seguidas a 23 de janeiro, época do fechamento do aeroporto de Wuhan, 85.000 voos foram cancelados.

Dentre as maiores companhias internacionais, a que mais sofreu foi a Cathay Pacific, sediada em Hong Kong, com 90% dos voos cancelados. A empresa aérea chegou a pedir que 27.000 funcionários tirassem férias sem remuneração, dada a queda da capacidade operativa de rede, para ajudá-la a poder se recuperar.

Essa reavaliações feitas por consultorias indicam que, ao menos durante o primeiro trimestre, a sombra do Corona vírus ainda causará bastantes problemas. Sendo que, possivelmente, a normalidade da atividade econômica apenas possa começar a ser sentida no segundo trimestre. Isso, claro, se o número de mortes não aumentar e nem as taxas da infecção.