Corona tem prejuízo de US$ 170 milhões por coronavírus

Tatiane Lima
Jornalista, redatora sênior. Tecnóloga em Recursos Humanos e MBA em Comunicação e Marketing. Apaixonada por empreendedorismo criativo. Atuei nos três setores, com hard news, jornalismo on, off e redação publicitária.
1

Crédito: Michal85/Pixabay

Por causa do surto de coronavírus, que se alastra pelo mundo, a cervejaria Corona já calcula um prejuízo de aproximadamente US$ 170 milhões (em torno R$ 776 milhões). Para a empresa, isso representa o pior trimestre financeiro em dez anos. Segundo informações da revista Menu, a situação foi comunicada pela própria produtora da bebida, a AB Inbev, à rede CNBC.

Além de produzir a Corona, AB Inbev também é proprietária, aqui no Brasil, da Ambev. Entre as causas para o baixo desempenho em vendas está a expectativa frustrada da empresa em torno do Ano Novo Chinês. Devido ao surto de coronavírus, o mercado da China, país epicentro do vírus, foi fortemente afetado. E a perspectiva por um aumento no consumo da cerveja durante as celebrações foi abatida. Já que as rígidas medidas das autoridades de saúde chinesas recomendavam a permanência da população em casa, a fim de controlar a proliferação da doença.

Vale lembrar que o coronavírus se manifestou originalmente na cidade de Wuhan, capital da província de Hubei, na China. Desde dezembro de 2019, a doença vem causando impacto em todo o mundo.

Corona não é a única

No entanto, mesmo fora da China, a relação da Corona com os consumidores tem sido complicada. Conforme a revista Menu, o consumo da cerveja está sendo evitado, principalmente nos Estados Unidos. Isso porque há uma associação entre os nomes da marca Corona e o coronavírus.

Ainda de acordo com a revista Menu, o saldo negativo na indústria de bebidas alcoólicas, por coronavírus, não é exclusividade da AB Inbev. Outras companhias, além da cervejaria Corona, também estão sentindo os prejuízos causados pelo surto. Por exemplo, a Diageo, considerada a maior produtora mundial de destilados. A revista Menu informou que, na semana passada, a empresa declarou que poderá ter uma queda de até US$ 258 milhões (R$ 1,18 bilhão) no lucro anual.