Coreia do Norte anuncia que vai retomar testes nucleares e culpa os EUA

Gabriela Brands
Profissional com graduação em Jornalismo, pós-graduação em Planejamento em Comunicação e Gestão de Crises de Imagem e em Marketing. Tem experiência sólida em Comunicação Política, Assessoria de Imprensa e Gestão de Crises.

Crédito: Reprodução/ Twitter

O compromisso firmado pela Coreia do Norte para interromper os testes nucleares perdeu a validade. A afirmação foi feita nesta terça-feira (21), por Ju Yong Chol, conselheiro da missão norte-coreana na Conferência de Desarmamento da ONU, em Genebra. Segundo ele, as sanções “brutais e desumanas” aplicadas ao país pelos Estados Unidos impedem a manutenção do acordo.

A moratória para a desnuclearização da península coreana foi assinada pelos dois países em 2018. Desde lá, o líder norte-coreano, Kim Jong-un, e o presidente americano, Donald Trump se reuniram três vezes. De acordo com Ju, nesse período a Coreia do Norte congelou todos os testes nucleares e de lançamentos de mísseis balísticos intercontinentais.

Mas, o conselheiro afirma que os americanos responderam com a manutenção das sanções e exercícios militares na região. “Ficou claro que os EUA continuam com a ambição de bloquear o desenvolvimento da Coreia do Norte e mudar seu sistema político. Assim, não encontramos razões para respeitar unilateralmente os compromissos que outros deixam de cumprir.”, justificou Ju.

BDRs| Confira os papéis disponíveis para Investimentos

No fim do ano, Kim Jong-un já havia anunciado a retomada dos testes nucleares. Os EUA, entretanto, afirmam que só uma desnuclearização completa por parte de Pyongyang pode levar ao alívio das sanções. O país espera a retomada das negociações.