Semana tem ata do Copom, varejo, prévia do PIB e balanços

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.

Crédito: Reprodução/Pixabay

A semana começa com as expectativas do mercado em relação ao conteúdo da ata do Comitê de Política Monetária (Copom) que será publicada na terça-feira.

“Após ter sinalizado enfaticamente a intenção de interromper o ciclo de flexibilização monetária a partir da próxima reunião, o Copom deve aproveitar a ata para explicitar suas razões para isso, haja vista à inflação projetada para 2020 ainda bem abaixo da meta  – apesar do peso preponderante dado à inflação de 2021”, escreveu a Rosenberg & Associados em relatório.

Outro indicador que dividirá as atenções são os relativos às vendas do varejo, medidas pelo IBGE. “Esperamos um desempenho bom do comércio em dezembro, com efeitos da Black Friday e do FGTS menores do que os de novembro, porém ainda relevantes”, afirmou a consultoria.

Aprenda hoje a investir em Small Caps e encontre as oportunidades escondidas na Bolsa.

Ainda na macroeconomia, o Banco Central divulga o IBC-Br de dezembro, que deverá trazer uma prévia do resultado do PIB de 2019, além do IGP-M e IGP-10, ambos divulgados pela FGV.

Na agenda de corporativa destaque para os relatórios de produção da Vale (VALE3) e da Petrobras (PETR3 PETR4), além dos balanços do setor bancário: Itaú Unibanco (ITUB4), Banco do Brasil (BBSA3), Banco Inter (BIDI11) e BB Seguridade (BBSE3).

No exterior, destaque para os dados de atividade e inflação nos Estados Unidos e para o PIB da zona do euro.

O que você verá neste artigo:

Coronavírus

Outro tema que vai seguir no radar dos investidores é o coronavírus e seus desdobramentos na economia global, com empresas reportando perdas, atrasos e paralisações da produção.

A Opep+ já indicou que recomendará corte na produção para conter a queda no preço do petróleo.

O número de mortes pelo novo vírus chegou a 813, o que supera o número global de mortes pela síndrome respiratória aguda grave (Sars), que ocorreu entre 2002 e 2003, e vitimou 774 pessoas.

Foi reportada no sábado, 9, a primeira morte de um estrangeiro – uma norte-americana de 60 anos. Todas as demais vítimas são chinesas.

Na segunda, 10, as grandes fábricas chinesas devem retomar a produção, procurando amenizar o efeito cascata dos atrasos por conta da paralisação desde o feriado do Ano Novo Lunar. Mas há o temor de que muitos trabalhadores não retornem, ocasionando falta de mão-de-obra.

No Brasil, destaque para a chegada de avião com 34 brasileiros que estavam em Wuhan, epicentro do surto. Eles vieram em dois aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) e ficarão confinados por 18 dias na Base Aérea de Anápolis, em Goiás. Nenhum deles apresenta sintomas da doença.

Segunda

Na madrugada de domingo para segunda é prevista a divulgação da inflação na China. No Brasil, são esperados ainda os dados do Focus e da balança comercial.

No corporativo, Itaú (ITUB4) divulga o balanço do quarto trimestre de 2019 no pós-mercado. É esperada ainda a publicação da prévia operacional de produção da Petrobras (PETR3 PETR4), após o fechamento da bolsa.

Terça

Terça, às 8h, tem ata do Copom, que deve explicar a redução a 4,25% na taxa Selic e a intenção já explicitada de interromper o ciclo recente de cortes. Tem também Índice Geral de Preços Mensal (IGP-M), às 8h, da FGV.

No corporativo, a Vale (VALE3) informa seu relatório de produção, antes da abertura do mercado. Já a TIM (TIMP3) reporta seus ganhos do quarto trimestre após o fechamento.

Quarta

Na quarta, o IBGE publica a Pesquisa Mensal do Comércio, com os resultados do varejo para dezembro, com boas expectativas para vendas de Natal. ­

Suzano (SUZB3), Duratex (DTEX3) e Totvs (TOTs3) publicam seus resultados do quarto trimestre de 2019.

Quinta

Na quinta, divulgação da inflação nos EUA e pesquisa mensal de serviços no Brasil.

Tem também balanço do Banco do Brasil (BBAS3), BMG (BMGB4) e Grendene (GRND3).

Sexta

Na sexta, PIB da zona do euro, produção industrial nos EUA, e índice de atividade econômica no Brasil.

BTG Pactual (BPAC11), Cosan (CSAN3) e Usiminas (USIM5) reportam ganhos.