Copel (CPLE6) aprova R$ 1,507 bi em proventos intermediários

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)
1

Crédito: Divulgação

A Copel (CPLE6) anunciou, nesta quarta (17), que aprovou a distribuição de R$ 1,507 bilhão em proventos intermediários em 30 de abril.

Deste montante, diz o comunicado da Copel, o valor bruto de R$ 134,19 milhões serão creditados aos acionistas sob a forma de juros sobre o capital próprio (JCP).

A distribuição de proventos foi definida pelo Conselho de Administração da Copel da seguinte forma:

  • Serão pagos de dividendos o valor bruto de R$ 1,37 bilhão, com R$ 0,47929189 por ação ordinária  e R$ 0,52722110 por ação preferencial classe “A” –PNA (pós desdobramento); R$ 0,52722110 por ação preferencial classe “B” –PNB (pós desdobramento). A posição com direito é de 31 de março de 2021, com “ex-dividendos” a partir de 1º de abril;
  • JCP terá o valor bruto de R$ 134,19 milhões, com R$ 0,04683557 por ação ordinária –ON (pós desdobramento), R$ 0,05151910 por ação preferencial classe “A” –PNA (pós desdobramento), R$ 0,05151910por ação preferencial classe “B” –PNB (pós desdobramento). Posição com direito: 31 de março de 2021, com “ex-juros” desde 1º de abril.
  • Data de pagamento: R$ 1,25 bi, a título de dividendos intermediários, serão pagos em 30 de abril de 2021.
  • Além disso, R$ 257,44 milhões, sendo R$ 123,25  milhões a título de dividendos intermediários, e R$ 134.192.338,44 de JCP serão pagos até o final do exercício social de 2021, em data a ser divulgada e aprovada pelo Conselho de Administração.

AES Brasil (TIET11): Itaú (ITUB4) se torna sócio em holding

A AES Brasil (TIET11) comunica que o Itaú (ITUB4) se tornou sócio numa holding de geração de energia renovável.

O acordo de investimento, informa o comunicado da AES Brasil, prevê que o Itaú subscreverá novas ações preferenciais, a serem emitidas pela holding da AES Brasil — detentora dos projetos de geração de energia eólica e solar em operação, a Guaimbê Solar Holding.

Com a subscrição do aumento de capital, no valor de R$ 855 milhões, o Itaú se tornará acionista da Guaimbê Holding e passará a deter participação equivalente a 19,9% de seu capital social.

“A aquisição de participação acionária pelo Itaú na holding de renováveis da AES Brasil reforça sua capacidade de trazer investidores de qualidade bem como o compromisso do banco com o fomento de geração de energia por fontes renováveis”, diz comunicado da AES Brasil.

“Trata-se de uma oportunidade de fomentar seu projeto de crescimento, direcionando os recursos aportados pelo Itaú para ampliar seu portfólio de projetos de geração de energia renovável.”

Segue abaixo a estrutura da companhia antes e após o investimento a ser feito pelo Itaú:

Aliansce Sonae (ALSO3): alteração acionária

A Aliansce Sonae (ALSO3) informou que os fundos geridos pelo Itaú (ITUB4) reduziram participação de 5%, a 4,978%.

No total são 13.230.707  de ações, configurando a redução na participação acionária relevante.

Marfrig (MRFG3): investimento em subsidiária nos EUA

A Marfrig (MRFG3) comunicou que sua subsidiaria National Beef Packing Company, processadora de carne bovina em Iowa (EUA), anunciou hoje planos para aumentar a capacidade atual de 1.100 cabeças dia para 2.500 cabeças/dia em sua unidade de abate Iowa Premium localizada em Tama.

O investimento é de cerca de US$ 100 milhões, para elevar produção em 127%.

Segundo a companhia, o investimento total será realizado nos próximos dois anos e “está dentro da política de Capex para crescimento orgânico da companhia.”

“O projeto, que mais que dobrará a capacidade da planta, aumentará a produção de produtos premium, altamente demandados em todo o mundo, e trará uma excelente oportunidade para os produtores familiares de Iowa que irão fornecer gado Angus para companhia”, diz a Marfrig.

O projeto está previsto para ser concluído no final de 2022. “Gerará centenas de empregos adicionais para a região”, acrescenta a Marfrig.