Copel (CPLE3) terá crédito fiscal de R$ 5,8 bi; Banco Inter (BIDI4) retifica dividendos de JCP

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: Divulgação / Plural

A Copel (CPLE3, CPLE5, CPLE6), comunicou nesta quinta-feira (2) que foi informada por sua controlada Copel Distribuição sobre recente decisão jurídica favorável reconhecendo o seu direito de excluir o ICMS da base de cálculo do PIS e COFINS. O valor é de aproximadamente R$ 5,8 bilhões.

Outras empresas de energia também conseguiram decisão semelhante.

Assim, a Copel, segundo informa em nota, “iniciará o processo de habilitação do respectivo crédito tributário, perante a Receita Federal do Brasil, estimado, de modo preliminar, em até aproximadamente R$ 5,8 bilhões”.

“Esse assunto tem efeito retroativo a 2004, referente a 5 anos anteriores ao ajuizamento da medida judicial”, ressalta.

A boa notícia chega também aos consumidores.

A Copel DIS estima uma redução média de 3,8% no valor das faturas de energia dos seus consumidores, em decorrência da exclusão do ICMS na base de cálculo do PIS e COFINS.

Banco Inter (BIDI11) retifica dividendos de JCP

O Banco Inter (BIDI3, BIBI4, BIDI11) comunicou o pagamento aos acionistas de juros sobre o capital próprio no valor bruto total de R$ 16,266, equivalentes a R$ 0,023140402 por ação ordinária e preferencial. São R$ 0,069421206 por Unit.

“Os recursos para pagamento dos juros sobre o capital próprio serão utilizados do saldo da Reserva de Lucros para Equalização de Dividendos”, informa o Banco.

O pagamento será efetuado em 20 de agosto de 2020, na proporção da participação de cada acionista no capital social da empresa.

Farão jus ao pagamento os acionistas constantes da base acionária em 3 de julho de 2020. A partir de 6 de julho de 2020, inclusive, as ações de emissão do Banco serão negociadas “ex” estes juros sobre capital próprio.

Bahema Educação (BAHI3) adquire escola Autonomia por R$ 29,4 milhões

A Bahema Educação (BAHI3) informou nesta quinta-feira que sua controlada Centro de Formação comprou a Escola Autonomia, localizada em Florianópolis, capital de Santa Catarina. A Bahema atuou como garantidora da operação.

O preço foi de R$ 29,390 milhões. Será deduzida dívida líquida do Autonomia, além de outros ajustes.

A Bahema e o Centro de Formação pagaram 10% do preço, a título de sinal.

O restante do preço de aquisição será pago em até 36 meses a contar da data do fechamento da operação, informa a Bahema.

“Localizada em Florianópolis, o Autonomia foi fundado em 1991 por um grupo de 13 mulheres que idealizavam uma escola diferenciada e atraente para os estudantes, com princípios humanistas e propostas pedagógicas criativas”, diz a empresa em nota.

Com quase 30 anos de vida, a escola conta hoje com aproximadamente 830 alunos do ensino infantil ao ensino médio.