Copasa (CSMG3) aprova pagamento de R$ 820 milhões em dividendos

Regiane Medeiros
Economista formada pela UFSC. Produz conteúdo na área de mercado de capitais, finanças pessoais e atualidades.
1

Crédito: Copasa

A Copasa (CSMG3) aprovou nesta quinta-feira a distribuição de dividendos extraordinários no montante de R$ 820 milhões de reais.

Segundo a Companhia, será pago o valor R$ 6,4876594827 por ação, ainda no exercício social de 2020.

A data do pagamento será informada posteriormente, via comunicado ao mercado, declarou a Copasa.

BDRs| Aprenda mais sobre essa classe de Ativos

Para fazer jus aos dividendos, o acionista precisa estar posicionado no papel na data de 19 de novembro de 2020.

Copasa (CSMG3) aprova em AGE o desdobramento das ações ON, na razão de 1 para 3

A Copasa (CSMG3) aprovou ainda o desdobramento das ações ordinárias de emissão da Companhia na razão de 01 ação para 3 ações ordinárias, todas nominativas e sem valor nominal.

Como consequência, o capital social da Copasa formado por 126.751.023 de ações ordinárias, passa para 380.253.069 de ações ordinárias.

No entanto, o valor do capital social permanece em R$ 3,4 bilhões.

Segundo a Companhia, o desdobramento busca proporcionar melhor patamar para a cotação das ações negociadas na bolsa, a fim de torná-las mais acessível aos investidores e proporcionar maior liquidez.

Terão direito ao recebimento das ações advindas do desdobramento, os acionistas detentores de ações em 25 de novembro de 2020. As ações serão creditadas em 30 de novembro de 2020.

Desse modo, as ações da Companhia passam a ser negociadas “ex-desdobramento” em 26 de novembro.

“As ações resultantes do desdobramento proposto conferirão integralmente aos seus titulares os mesmos direitos das ações ordinárias existentes, inclusive em relação à distribuição de dividendos e/ou juros sobre capital próprio e eventuais remunerações de capital que vierem a ser distribuídas pela Companhia”, destacou a Copasa.

Leia mais:

Construção concentra 25% dos IPOs do ano, mas ações registram queda

Dividendos: confira as ações mais recomendadas para novembro