Contas remuneradas: valem a pena ou rendem menos do que a poupança?

Carla Carvalho
Graduada em Ciências Contábeis pela UFRGS, pós-graduada em Finanças pela UNISINOS/RS. Experiência de 17 anos no mercado financeiro, produtora de conteúdo de finanças e economia.

Crédito: Pixabay

Embora tenham sido repaginadas pelos bancos digitais, as contas remuneradas já existem há bastante tempo.

Basicamente, esse serviço consiste em uma remuneração paga ao cliente pelo dinheiro que fica parado na conta-corrente. A novidade é que, atualmente, esses recursos rendem bem mais do que as taxas oferecidas por bancos tradicionais. No caso de algumas fintechs, a remuneração do saldo em conta chega a superar 100% do CDI.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

Os rendimentos das contas remuneradas são melhores do que os da poupança?

Na maioria das vezes sim, pois, como vimos, atualmente há muitas fintechs que pagam mais de 100% do CDI sobre o seu saldo parado na conta. Isso é bem mais interessante do que a média de 60% a 70% do CDI que bancos tradicionais pagavam há alguns anos.

Por sua vez, a poupança apresenta hoje um rendimento negativo, que perde para a inflação. A seguir, veja como funciona a rentabilidade da caderneta de poupança.

Rentabilidade da poupança

O rendimento da poupança depende da taxa Selic e, para o seu cálculo, precisamos considerar depósitos feitos em dois períodos diferentes. Os anteriores a 4 de maio de 2012 e os que foram feitos depois dessa data.

Para as aplicações realizadas antes de 4 de maio de 2012, a poupança oferece rendimento de 0,5% ao mês + taxa referencial (TR), que hoje está zerada.

Já quanto às aplicações feitas após 4 de maio de 2012, o cálculo dos rendimentos da poupança é feito da seguinte forma:

– Para Selic abaixo de 8,5% ao ano, o rendimento da poupança será de 70% dessa taxa + TR.

– Para Selic acima de 8,5% ao ano: o rendimento da poupança será de 0,5% ao mês + TR.

Pontos de atenção com as contas remuneradas

É importante entender que, pelo fato de a conta remunerada pagar mais do que a poupança, não significa que ela seja uma opção de investimento.

Em função da praticidade, muitas pessoas utilizam a conta remunerada para os recursos da reserva de emergência. Isso porque o seu rendimento é, basicamente, o das aplicações tradicionais de liquidez imediata. No entanto, o perigo disso é misturar o dinheiro da reserva com os valores utilizados para as despesas do dia a dia.

A princípio, isso pode não parecer um problema. No entanto, um saldo maior na conta pode facilmente causar a impressão de o dinheiro está disponível e não faz parte da reserva. Esse efeito psicológico pode induzir a gastos maiores do que os previstos.

Outro ponto fundamental é o fato de que, mesmo que o rendimentos das contas remuneradas sejam melhores hoje, há outros investimentos mais rentáveis no mercado. Ou seja, a sensação de que “qualquer ganho é melhor do que nada” pode levar o investidor à acomodação. Isso fará com que não procure alternativas mais interessantes, comprometendo, assim, a rentabilidade de sua carteira.

No vídeo abaixo, entenda como a conta remunerada pode, às vezes, representar uma armadilha para os seus investimentos!

Money Week 5ª Edição

5 Dias de Evento | 70 Autoridades do Mercado Financeiro | 20 Horas de Conteúdo