Conta de transações correntes tem déficit de US$ 4 bi, pior que a projeção

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Flickr

A conta de transações correntes de março apresentou um déficit de US$ 4 bilhões, informou o Banco Central nesta segunda-feira (26).

O resultado veio pior do que o esperado pelo mercado, que era de déficit de US$ 2,6 bilhões. Veio abaixo também da projeção do BTG Pactual (BPAC11), que previa déficit de US$ 3,2 bilhões.

Entretanto, o resultado é melhor do que a leitura do mesmo mês do ano passado, quando foi de déficit de US$ 4,3 bilhões.

Nos últimos 12 meses, o déficit em transações correntes somou US$ 17,8 bilhões, versus US$ 71 bilhões ante março de 2020.

conta corrente

Reprodução/BC

A balança comercial de bens registrou déficit de US$ 437 milhões em março, ante superávit de US$ 2,1 bilhões em março de 2020. As exportações totalizaram US$ 2,6 bilhões em março de 2021, aumento de 33,7% ante o mesmo mês do ano passado. As importações somaram US$ 25 bilhões, com incremento de 53,6%.

A conta de serviços manteve a trajetória de retração e totalizou déficit de US$ 1,1 bilhão em março de 2021, com recuo de 36,5% em relação a março de 2020, quando atingiu US$ 1,7 bilhões. Essa tendência é muito fundamentada pela queda no segmento de viagens internacionais, que é fortemente impactada pelas medidas de restrição de mobilidade social. Nos doze meses encerrados em março de 2021, as despesas líquidas de viagens internacionais totalizaram US$ 1,1 bilhão, menor valor desde junho de 2006.

O Investimento Estrangeiro Direto apresentou uma entrada líquida de US$ 6,9 bilhões, resultado abaixo do esperado pelo mercado, que era de US$ 7,2 bilhões. Para o BTG, a projeção era de US$ 7,5 bilhões.

investimento direto

Reprodução/BC

Na análise do banco BTG, o cenário segue otimista, apesar do resultado abaixo do esperado. A provável retomada da atividade econômica internacional, a partir da ampla vacinação, com consequentemente aumento das exportações, explica o otimismo.