Descubra tudo sobre a empresa Panvel (PNVL3) e o desempenho de suas ações

Ana Paula Schuster
Colaborador do Torcedores

A Panvel (PNVL3) é uma empresa que tem se destacado muito no setor da saúde. Ela faz parte do Grupo Dimed e tem aumentado suas franquias pelo sul do país. Para entender mais sobre a razão de o negócio ter se tornado interessante aos investidores, continue a leitura.

Apresentação da empresa Panvel (PNVL3)

A empresa surgiu no ano de 1967, no Rio Grande do Sul. Ela é composta por três setores:

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

  • Panvel (PNVL3) – rede com mais de 450 lojas que comercializa medicamentos e produtos de beleza e higiene;
  • Dimed – distribuidora de medicamentos no Brasil;
  • Lifar – desenvolvedora e fabricante de cosméticos, remédios e alimentos que atua no Brasil e no exterior.

A instituição tem ações negociadas na bolsa de valores brasileira, que é conhecida como B3. E possui bons números no segmento. Por isso, tem despertado interesse de investidores no sul e no restante do Brasil.

História da empresa Panvel (PNVL3)

No ano de 1967, duas redes de farmácia se uniram e o objetivo dessa união era criar uma central de compras e logística para abastecer as duas redes. Com isso, a junção de Panitz e Velgos foi para chegar a mais clientes e fortalecer-se como marca.

Nesse projeto, foi criado o laboratório Lifar, em 1969. Para abastecer o negócio, o grupo conquistou o Certificado de Boas Práticas da Anvisa, em 2004. Dois anos depois, começou a produzir cosméticos e, com isso, ampliou ainda mais sua área de atuação.

História do grupo

Em 2014, o grupo foi regulamentado e iniciou na B3 com a sigla atual. A Panvel (PNVL3) possui toda estrutura de uma grande marca, contando com seu próprio call center. Suas lojas estão localizadas em:

  • Rio Grande do Sul , Santa Catarina e Paraná;
  • São Paulo.

A empresa tem conquistado reconhecimento nessas regiões, em que seu segmento é forte. Ela chama a atenção pela boa organização interna e por conseguir ser eficiente em vários setores. Além disso, tem apresentado boas estratégias que serão explicadas a seguir.

Estratégia Panvel (PNVL3)

A Panvel (PNVL3) apresenta um plano de futuro e expansão muito bem organizado. O intuito é que a empresa cresça de forma considerável nos próximos anos. Assim, suas táticas principais, consideradas agressivas, são:

  • Investir na área digital;
  • Ampliar sua quantidade de lojas em território nacional;
  • Melhorar a sua logística.

Essas estratégias têm dado resultados em seus números, fazendo com que eles sejam positivos. Mesmo em meio à pandemia, ela conseguiu lidar com a crise e ter uma resposta de recuperação rápida.

Lidar com a concorrência

A Panvel (PNVL3) disputa um espaço concorrido no estado do Paraná com a farmacêutica Nissei. Por isso, tem avançado com mais dificuldade nesta região – vale dizer que ela é importante para chegar ao sudeste com mais renome.

Para lidar com esse tipo de situação, suas ações têm sido negociadas com desconto. Então, em relação à Raia Drogasil, por exemplo, os valores chegam a ser 40% menores,. Logo, isso funciona de forma muito positiva para atrair investidores, mesmo com a forte competição.

Recentemente, o valor de seu papel tem sido de R$ 21,35, mas o preço-alvo é R$ 39,00. Por isso, existem chances de que a ação consiga se valorizar bem no futuro.

Setor digital

A Panvel (PNVL3) tem ampliado seus canais digitais e conquistado um bom desempenho. Atualmente, ela está presente em diversas redes sociais e tem uma plataforma de vendas sólida.

O grupo Dimed tem se organizado para prestar contas com o máximo de transparência. Logo, também tem aprimorado seus sites para otimizar o espaço e aumentar o interesse dos acionistas.

Ações na B3

A rede está presente na Bolsa de Valores Brasileira sob o ticker PNVL3. A empresa atua em alguns ramos ligados a remédios e cosméticos, como os seguintes:

  • Comércio atacadista;
  • Varejista de medicamentos;
  • Perfumaria;
  • Toucador.

Ela conta com 71,745 mil ações em circulação na B3. Estão classificadas como ON (ordinárias) e PN (preferenciais), sendo 46,26% no primeiro e 58,67% no segundo.

Segmento da bolsa

A Panvel (PNVL3) atua no setor de saúde, no subsegmento de produção, pesquisa e comércio. O grupo age com maior força de atuação na região sul. Mas, tem se expandido para o sudeste e tem planos de prosseguir.

No momento ainda não protagoniza o cenário do segmento. Porém, há expectativa de entrar no ranking em breve. Entre as principais companhias que também se destacam no segmento estão as seguintes:

  • Intermédica;
  • Hapvida;
  • Raia Drogasil;
  • Hypera;
  • SulAmérica;
  • Fleury;
  • Qualicorp.

A concorrência é grande, mas o grupo tem o diferencial de fabricar e distribuir produtos. Com isso, ganha destaque na área e pode crescer muito com a sua estratégia atual.

Há pouco tempo, a Panvel (PNVL3) pediu a migração das ações para o Novo Mercado na B3. Dessa forma, vai estar presente no nível mais alto de governança da bolsa brasileira. Assim, desperta mais interesse sobre as aquisições de seus títulos.

O pedido está relacionado com o desejo de simplificar as suas aplicações. O que contribui para que a liquidez do papel ordinário aumente e atraia mais investimento. Isso é necessário para que as estratégias sigam sendo implementadas e a empresa cresça.

Desempenho no último balanço da Panvel (PNVL3)

No primeiro trimestre de 2021, a Panvel (PNVL3) demonstrou uma boa recuperação em relação ao ano anterior. Dessa forma, se tornou a microcap do momento, indicada por vários especialistas do segmento.

O crescimento se deve, em grande parte, ao e-commerce, que tem sustentado as vendas. O grupo implantou um bom investimento no ano anterior e colhe os frutos nesse momento.

Hoje em dia, o e-commerce é responsável por 17% da receita do varejo. A expectativa é que essa porcentagem aumente entre 25% e 30%. Enquanto isso, suas lojas físicas também têm aumentado sua presença em território nacional.

Os resultados de 1T21

A Panvel (PNVL3) divulgou seus resultados no primeiro trimestre de 2021. Nele apresentou um crescimento de lucro líquido de 20,52% que o mesmo período do ano anterior. Em 2020 rendeu R$ 16,357 milhões e neste ano R$ 19,714 milhões.

O lucro líquido atingiu R$ 21,3 milhões, aumentando 29,9% sobre a mesma época. Nos segmentos do grupo, a receita passou de R$ 729,956 milhões para R$ 811,830. Dessa maneira, cresceu cerca de 11,22%.

Quando comparado com o último trimestre de 2020, houve um recuo. Uma queda de 25,65% que ocorreu em partes pelo aumento da presença dos rivais no setor.

Desempenho na crise

No ano passado, as ações da Panvel (PNVL3) caíram 22% na comparação com 2019. Isso porque a pandemia diminuiu seu lucro para R$ 64 milhões. Entretanto, a receita cresceu 3,5%, sendo de R$ 2,8 bilhões. Mesmo em meio a crise, o grupo inaugurou 44 lojas, sendo metade nos meses finais do ano.

Valorização das ações

A empresa tem se recuperado da crise instaurada no cenário econômico mundial pela pandemia. Graças a uma gestão competente e estratégias que fazem sentido, os números têm voltado a subir.

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3

O mês de junho de 2021 demonstrou uma pronta recuperação em relação a maio. No primeiro dia valia R$ 20,80. Já em 28 de junho, o custo era R$ 21,35. Seu crescimento foi de 2,64% nesse período.

Nos últimos seis meses a Panvel (PNVL3) teve fortes oscilações. Após dois meses muito bons, no início do ano, teve uma queda em março. Com isso, no dia 04/01 valia 21,11 BRL. Já no dia 01/06 custava 20,80, uma queda de 1,46%.

Quando comparamos 1 de junho de 2020, a queda é maior. Porque na época as ações estavam em pronta recuperação, valendo R$ 30,85. Assim, a diferença entre os períodos é uma diminuição de 32,58% de seu custo.

Maiores acionistas da Panvel (PNVL3)

Os maiores acionistas totais da Panvel (PNVL3) em 28 de junho de 2021 eram os listados a seguir:

  • Julio Ricardo Andrighetto Mottin – 8,9%;
  • Outros – 48,4%;
  • Kinea Private Equity Iv Master Fundo de Investimento em Participações Multiestratégica – 5,9%;
  • Elisabeth Weber Taylor – 4,0%;
  • Roberto Luiz Weber – 4,0%;
  • Denis Pizzato – 3,9%;
  • Geraldo Otto Weber – 3,9%;
  • Martha Weber Luce – 3,8%;
  • Regis Pizzato – 3,5%;
  • Francisco Angelo Mottin – 3,0%;
  • Nelson de Alvarenga Mariano da Rocha – 2,4%;
  • Nadja Pizzato – 1,8%;
  • Jose E P Annoni – 1,7%;
  • Ana Luiza Mariano da Rocha Mottin – 1,6%.

Essas são as participações mais relevantes sobre as ações da empresa nos dias atuais.

Expectativas para a Panvel (PNVL3)

A Panvel (PNVL3) encerrou o 1T21 com uma leve queda quando comparado ao período anterior. Mas, conquistou várias novas aquisições em seu grupo de investidores. O que é importante para suas estratégias de ampliação que visam lucro a longo prazo.

Seus números têm se recuperado de forma gradual, ao mesmo tempo que o e-commerce se amplia. Tem tido um grande aumento de margem bruta por lançar novos produtos no mercado.

A expectativa para o futuro é que seus indicadores adicionais cresçam ainda mais. Pois a empresa montou um estoque antes do aumento de preço anual de insumos. Assim, o 2T21 deve apresentar números mais favoráveis.