Conheça tudo sobre a B3 (B3SA3) e a origem da bolsa de valores brasileira

Ana Paula Schuster
Colaborador do Torcedores

Crédito: B3 (B3SA3)

A B3 (B3SA3) como se conhece hoje vem da união da CETIP com a BM&FBOVESPA. Desde 2017, os resultados ajudaram a cobrir mais categorias para a atuação da empresa.

Com destaque no cenário global, ela está entre as principais no setor de mercado financeiro. Portanto, esses e outros detalhes sobre a companhia você confere no texto a seguir.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

Apresentação da B3 (B3SA3)

Uma das principais empresas de infraestrutura de mercado financeiro no mundo: essa é a B3 (B3SA3). Antes de tudo, vale entender detalhes como sua atuação: ambientes de bolsa e de balcão.

Ela integra, entre muitos outros, alguns dos índices como:

Além do destaque no setor de bolsas devido ao valor, também procura inovar nas atividades. Por exemplo, o seu foco passa muitas vezes por produtos variados e também por tecnologia.

Quais as principais atividades da empresa

Em geral, as principais tarefas da companhia incluem criar e administrar sistemas de:

  • Negociação e compensação;
  • Liquidação, depósito e registro.

Isso vale para todas as classes de ativos, seja ações ou títulos de renda fixa. Além disso, vale incluir:

  • Derivativos de moedas;
  • Operações estruturadas;
  • Taxas de juro e de commodities.

A B3 (B3SA3) ainda torna viáveis os financiamentos em veículos e imóveis com sua infraestrutura. Nesse sentido, ela oferece recursos para análise e aprovação de crédito em todo o país.

Ainda nesse mesmo campo, a empresa lidera no quesito de entregar as informações exigidas para registro de contrato. Não apenas isso, como também anotações pelos órgãos de trânsito, tudo em meios eletrônicos.

História da B3 (B3SA3)

Para começar, entenda que a B3 (B3SA3) sempre esteve como parte do mercado financeiro. Porém, em 2017, ela juntou suas atividades com BM&FBOVESPA e CETIP, que reuniu:

  • A bolsa de valores;
  • Mercado de balcão.

Esse resultado trouxe a chance de oferecer soluções de sistemas e serviços para:

  • Mercados de ações;
  • Derivados de ações, financeiros e de mercadorias;
  • Títulos de renda fixa;
  • Cotas de fundos;
  • Títulos públicos federais;
  • Moedas à vista.

Antes da união, os destaques na história das empresas BM&FBOVESPA e CETIP foram:

BM&FBOVESPA

  • 2008: Nasceu da junção entre BM&F e Bovespa Holding;
  • 2011: Lançamento do PUMA Trading System para melhorar as negociações;
  • 2013: Novo cálculo do índice Ibovespa foi lançado;
  • 2014: Após o mercado de ações, o PUMA Trading System chegou também ao mercado de renda fixa privada.

CETIP, antes da formação da B3 (B3SA3)

  • 1984: Surgiu com o apoio do Banco Central e como entidade sem fins lucrativos;
  • 2008: Tornou-se uma sociedade por ações, agora, com fins lucrativos;
  • 2009: Abriu o seu capital;
  • 2013: Lançou o serviço para obter crédito imobiliário de modo mais barato, eficaz e ágil.

Estratégia da B3 (B3SA3)

A estratégia da empresa se relaciona muito com a causa pela qual ela se compromete. Dessa maneira, em suas atividades, ela procura manter seus trabalhos em prol de:

  • Conectar e desenvolver;
  • Viabilizar o mercado financeiro e de capitais.

Os valores da companhia

Quanto aos valores, a B3 (B3SA3) baseia o seu em tópicos importantes como:

  • Manter sempre a atitude mais correta;
  • Ter a mente aberta e está disposto a colaborar;
  • O cliente deve estar sempre próximo e satisfeito;
  • Obter credibilidade com operações sólidas;
  • Desenvolver um ambiente ideal para o desenvolvimento das pessoas.

Práticas sustentáveis

Um dos papéis principais da companhia é incentivar as práticas sustentáveis entre seus stakeholders. Dessa forma, ela visa fornecer serviços para apoiar seus clientes e provocar estímulos para evoluir.

Essas ideias de sustentabilidade estão ligadas com as estratégias de negócios para alavancar seus objetivos. Portanto, esses ideais são para a empresa um elemento essencial de mercado.

O compromisso com esse conceito é tido como forma de gerar valor a longo prazo. Então, com a intenção de reforçar essa prática, a empresa se pauta em 3 pilares:

  1. Estar alinhada com as melhores ideias de sustentabilidade;
  2. Promovê-las no mercado nacional;
  3. Tornar o portfólio de produtos mais rico e abrir novos caminhos pensando em ESG.

Desempenho no último balanço da B3 (B3SA3)

Os resultados do último trimestre da B3 (B3SA3) foram divulgados no dia 11 de agosto. A partir disso, você confere agora os principais números e a comparação com o 2T20.

  • Receita total: R$ 2.675,8 bilhões – aumento de 25,7%;
  • Receita líquida: R$ 2.417,7 bilhões – alta de 26,7%;
  • Despesas: R$ 749,3 milhões – crescimento de 2,2%;
  • Lucro Líquido: R$ 1.193,3 – aumento de 33,8%,
  • EBITDA Recorrente: R$ 1.853,3 – alta de 30,6%.

De maneira geral, os resultados da empresa são positivos em todas as linhas de negócio. Além disso, vale o destaque para o segmento de capitais que se manteve aquecido.

No período, a B3 (B3SA3) lançou uma novidade nos sistemas de Balcão com interface simples. Segundo ela, a ideia é atender aos novos agentes do mercado que precisam de agilidade.

Desempenho na crise

A pandemia fez com que as ações da empresa caíssem de modo astronômico em 2020. Logo, vários investidores aproveitaram para comprar os papéis em uma estratégia que acabou funcionando.

Isso porque a companhia se recuperou bem, com pontuação ainda maior do que em 2019. Na ocasião, os pontos foram 11.645 e em 2020 ela fechou com 119.010.

Valorização das ações da B3 (B3SA3)

Quanto às ações da B3 (B3SA3), você confere a seguir a valorização no último ano.

Money Week 5ª Edição

5 Dias de Evento | 70 Autoridades do Mercado Financeiro | 20 Horas de Conteúdo

As ações no dia 24 de agosto estavam valendo R$ 13,65. Porém, em julho o valor era de R$ 16,41 para os ativos da empresa. Ou seja, ocorreu uma desvalorização de -16,82%.

Considerando o desempenho dos últimos 6 meses, os papéis valiam R$ 18,54. Assim sendo, ocorreu também uma desvalorização, dessa vez de 26,38%.

Levando em conta o último ano, o valor dos ativos era R$ 20,30. Então, os gráficos mostram uma desvalorização de 32,76%.

Maiores acionistas da B3 (B3SA3)

A B3 (B3SA3) não possui um acionista ou grupo controlador direto ou indireto. O total de ações ordinárias é 6.126.000.000 com a seguinte composição:

  • Capital Research Global Investors: 8,95% (548.223.948);
  • Fundos administrados pela Blackrock, INC.: 4,53% (277.303.938);
  • Outros: 85,90% (5.262.431.118);
  • Ações em tesouraria: 0,62% (38.040.996).

As empresas que o grupo possui

Em seus anos de mercado, a companhia colecionou diversas aquisições de empresas. A seguir, veja algumas das que o grupo B3 (B3SA3) possui:

  • Banco B3 S.A.;
  • B3 S.A. – Brasil, Bolsa, Balcão LTD;
  • Central de Exposição a Derivados;
  • B3 Inova USA LLC;
  • CETIP Info Tecnologia S.A.;
  • B3 S.A USA Chicago LLC;
  • BM&FBOVESPA BRV LLC;
  • B3 Social;
  • BLK Sistemas Financeiros LTDA.;
  • Portal de Documentos S.A.

Balanço do primeiro trimestre da B3 (B3SA3)

No período de primeiro trimestre do ano, a B3 (B3SA3) apresentou os seguintes resultados:

  • Receita total: R$ 2.667,6 bilhões – alta de 25,5% comparado com o 1T20;
  • Receita líquida: R$ 2.396,7 bilhões – aumento de 25,8% em relação ao 1T20;
  • Despesas: R$ 661,2 milhões – crescimento de 10,6% em comparação com o 1T20;
  • Lucro líquido: R$ 1.256,0 bilhões – cresceu 22,5% em relação ao 1T20;
  • EBITDA Recorrente: R$ 1.946,3 bilhões – alta de 24% comparado ao 1T20.

Uma conjuntura macroeconômica foi a razão da empresa ter ganhos em suas principais plataformas. Além disso, a B3 (B3SA3) continuou a manter o foco em suas operações. Como resultado, conseguiu garantir estabilidade na infraestrutura.