Conheça os fundos de capital protegido

Humberto Maurício Pennacchia
null
1

Crédito: Pexels/Pixabay

Você gostaria de fazer investimentos mais arrojados mas, ao mesmo tempo, tem medo de perder o seu capital? Se essa é a sua dúvida, saiba que você não está sozinho. Outras pessoas vivem o mesmo dilema. Porém, existem maneiras de evitar que isso aconteça. Nessa matéria você aprenderá como investir seu capital em aplicações de risco com proteção do patrimônio. Conheça os fundos de capital protegido.

O que é um fundo de investimento?

Os fundos de investimentos reúnem os recursos de um grupo de investidores, chamados de cotistas, para que possam realizar aplicações em ativos financeiros, que vão variar de acordo com o tipo e a estratégia do fundo.

Entenda o funcionamento dos fundos de capital protegido: 

Os fundos de capital protegido buscam maximizar os ganhos dos investidores. Isso acontece através da exposição do fundo a ativos de maior risco. Essa exposição do fundo pode acontecer com ações, dólar, ouro, derivativos, etc. Porém, há uma diferença que precisa ser levada em consideração. Mesmo que os ativos onde seu dinheiro está investido gerem prejuízo, seu capital inicial estará preservado. Como isso acontece? Essa proteção ao acionista acontece através de operações estruturadas com derivativos (derivativos são contratos que derivam a maior parte de seu valor de um ativo subjacente, taxa de referência ou índice. O ativo subjacente pode ser físico (café, ouro, etc.) ou financeiro (ações, taxas de juros, etc.), negociado no mercado à vista ou não. Vamos imaginar que os recursos do fundo estejam aplicados no mercado acionário, se houver queda das ações, as operações estruturadas garantirão o patrimônio integral de sua aplicação.

Exemplo hipotético de rentabilidade de um fundo de capital protegido: 

Vamos imaginar que o fundo aplicou seu capital em renda variável, depois de um período, as ações sofreram uma valorização de 50%. Nesse caso, o fundo vai remunerá-lo com 30% dessa rentabilidade. Agora, se durante esse mesmo período o fundo tivesse tido prejuízo com a aplicação, você sairia com o seu capital integral. Nesse tipo de aplicação, o investidor troca a alta integral pela proteção de não sofrer prejuízo. Agindo assim, ele ficará com um percentual da valorização do investimento feito.