Conheça os fundos cambiais

Humberto Maurício Pennacchia
null
1

Crédito: Reprodução / Pixabay

No mundo dos investimentos, temos aplicações para todos os tipos e perfis de pessoas. Encontramos desde as mais simples, seguras e tradicionais, até as mais complexas, arriscadas e de difícil entendimento. Nessa pauta, explicaremos como fazer investimentos em uma aplicação que não é muito usual para a grande maioria dos brasileiros. Você vai conhecer como é o investimento em fundos cambiais.

 O que é fundo cambial?

Fundo cambial é um fundo de investimentos que realiza aplicações em moedas estrangeiras como o dólar, euro, libras e outras.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

Como um fundo cambial pode ser usado?

O fundo cambial pode ser usado como uma forma de proteger os recursos dos investidores contra a volatilidade e as flutuações de determinadas moedas, como  o dólar e o euro.

Como é feita a constituição de um fundo de investimento cambial? 

A constituição dos  fundos de investimentos cambiais é feita no formato de um condomínio.

O que é um condomínio?

Condomínio é quando a mesma coisa ou bem pertence a várias pessoas, cabendo a cada uma delas igual direito sobre o todo e cada uma das partes. Esse modelo possibilita aos investidores reunirem seus recursos para investimento com melhor risco/retorno.

Como são os lucros com o investimento em fundos cambiais?

Quando a moeda estrangeira sobe, o investidor beneficia-se com isso. Em contrapartida, quando a moeda estrangeira desvaloriza, o  investidor sofre prejuízo.

Qual o principal objetivo de um fundo cambial?

Seu principal objetivo é manter o poder de compra em moeda estrangeira, ou acompanhar sua variação.

Em quais situações as pessoas podem se beneficiar de um fundo cambial?

a) As pessoas que possuem dívida em moeda estrangeira.

b) Aquela pessoa que tem obrigações de longo prazo no exterior.

c)  Quem deseja fazer um intercâmbio no exterior.

Como é a composição de um fundo cambial?

No mínimo, 80% dos recursos de um fundo cambial devem estar atrelados as cotações de uma moeda estrangeira. A parcela do fundo que não investe em moedas pode ser aplicada em títulos de renda fixa, até o máximo de 20% da carteira.