Grupo Soma (SOMA3): veja o perfil completo dessa small cap

Ana Paula Schuster
Colaborador do Torcedores
1

Foto: Foto: Dvulgação

O Grupo Soma (SOMA3) possui em seu portfolio as marcas Animale e Farm, além de outras de renome no mercado. Conheça tudo sobre essa empresa e sua atuação no setor de vestuários. Além disso, saiba como está a valorização de suas ações na Bolsa de Valores.

Apresentação da empresa Grupo Soma (SOMA3)

O Grupo Soma (SOMA3) surgiu em 2010, através da união de duas grandes marcas, a Animale e a Farm. Cheia de personalidade, a companhia é atuante no setor de confecção de peças de vestuário e no comércio varejista de artigos e acessórios de qualquer material.

Atingir um patrimônio de R$ 100 mil é para poucos, saiba quais são as melhores atitudes e aplicações para multiplicá-lo

Com isso, sua classificação setorial se encaixa como consumo cíclico, comércio de tecidos, vestuário e calçados. Acostumada a trabalhar com diversas marcas, a empresa nascida da fusão de duas gigantes, hoje conta com um total de nove marcas em seu portfólio:

  • Animale;
  • Farm;
  • Fábula;
  • A.Brand;
  • Foxton;
  • Cris Barros;
  • Off Premium;
  • Maria Filó;
  • BYNV.

Crescimento da empresa

A empresa possui mais de 250 lojas espalhadas Brasil afora, nas quais trabalham cerca de 5,3 mil funcionários. Ainda, por seu enorme reconhecimento, ela mantém cerca de 1,1 milhão de clientes. Sem contar no seu e-commerce que também movimenta capital.

História do Grupo Soma (SOMA3)

Pois bem, o Grupo Soma (SOMA3) surgiu da fusão das marcas Animale e Farm, como já foi dito. Mas é interessante que se saiba mais a fundo como se deu tal união. Para isso, o primeiro passo é conhecer as duas precursoras que deram origem à mesma.

Animale

Fundada em 1991 pelos irmãos Ricardo, Gisella e Cláudia Jatahy, a Animale transformou o sonho dos irmãos em realidade. Com peças luxuosas e bem acabadas, a marca foi se tornando um sucesso no país.

Farm

A Farm, conhecida por suas estampas vibrantes, foi fundada em 1997 pelos amigos Kátia Barros e Marcello Bastos. Assim como a primeira, esta marca também é carioca. No entanto, tiveram dificuldades de se manter no setor de vestuários.

Tudo começou quando os dois amigos abriram em um shopping do Rio, uma loja da antiga marca paulistana Mercearia. Todavia, o estilo não agradou os cariocas e eles tiveram muitos prejuízos. Inclusive fecharam a loja e venderam apartamentos para pagar as dívidas.

Não deixando o sonho de trabalhar com vestuários morrer, os dois resolveram produzir suas próprias peças para vender em uma feira hype do Rio. Dessa forma nasceu a Farm, com suas estampas vibrantes e coloridas, que se tornou referência nacional.

União das gigantes

Em 2008, com a crise que se instalou no país, a marca Farm se viu com uma dívida enorme de R$ 15 milhões. Chegou até mesmo a cogitar a venda da empresa, mas o empresário amigo de Marcello, Roberto Jatahy (da marca Animale) deu um aporte financeiro a eles.

Assim, surgiu o Grupo Soma (SOMA3). Hoje, os fundadores da Farm detém cada um 7,4% de participação. Já os irmãos Jatahy são donos de 61,4% e Roberto é o presidente.

Linha do tempo do Grupo Soma (SOMA3)

Depois da união das duas, a companhia não parou por aí e foi adquirindo mais marcas para ampliar seu portfólio. Veja a seguir como se deu a ampliação da empresa e sua aquisição ao longo dos anos.

  • 2014: Compra das marcas Fábula, de roupa infantil, e da contemporânea A.Brand;
  • 2015: Aquisição da Foxton, de moda masculina;
  • 2017: incorporação da Cris Barros, uma marca elegante;
  • 2018: compra da marca de moda brasileira Off Premium;
  • 2019: a Animale cria duas novas subdivisões, a Animale Jeans e a Animale Oro;
  • 2020: aquisição da marca de tricô Maria Filó;
  • 2021: compra da ByNV (a primeira após sua abertura de capital ao mercado de valores).

Estratégia do Grupo Soma (SOMA3)

O Grupo Soma (SOMA3) é reconhecido no mercado por manter uma gestão profissionalizada à frente da companhia, o que não é regra no setor de moda. Empenhada em se expandir cada vez mais, esta se baseia na estratégia de novas aquisições.

Com isso, a companhia espera expandir seu portfólio e atingir mais e mais clientes. Pautada neste ideal, a mesma abriu seu capital ao mercado de ações recentemente (em julho de 2020). O que significa um grande passo rumo ao seu crescimento.

Comercializar ações movimenta muito dinheiro para as companhias. Com isso, é possível ampliar a empresa e conseguir novas marcas para integrá-la e aumentar sua visibilidade no mercado. Segundo o Grupo Soma (SOMA3), os valores que os norteiam são:

  • Parceria de verdade;
  • Inteligência em gestão;
  • Dinamismo a toda prova;
  • Autonomia;
  • Atitude de dono;
  • Trato no trato;
  • Intuição;
  • Inquietude a flor da pele;
  • reconhecimento com orgulho;
  • Felicidade na gente.

Ações do Grupo Soma (SOMA3)

O Grupo Soma (SOMA3) realizou seu primeiro IPO (Oferta Pública Inicial) em julho de 2020. Em outras palavras, ele abriu seu capital ao mercado de Valores Mobiliários e lançou ações para serem comercializadas na Bolsa de Valores do Brasil (B3).

Com sua estreia, a empresa levantou cerca de R$ 1,823 bilhão. Dinheiro este que, segundo a companhia, será destinado 47% para novas fusões e aquisições. Outros 24 % para pagamento de dividendos e os 14% restantes para pagar dívidas.

Ações ordinárias

O Grupo Soma (SOMA3) lançou ações ordinárias (ON) com o ticker SOMA3. Além da oferta primária de 136.363.636 novos papéis ON, um lote suplementar de 47.727.272 foi adicionado. Seu IPO ficou a cargo do Itaú BBA, J.P. Morgan, Bank of America e XP.

Segmento da Bolsa

A companhia foi listada na Bolsa de Valores no segmento de Novo Mercado. Este, por sua vez, é o mais alto padrão de Governança corporativa da B3. Dessa forma, para participar dele é necessário cumprir alguns requisitos, tais quais:

  • Conceder tag Along de 100% aos seus acionistas;
  • Possuir apenas ações ordinárias;
  • Pagar dividendos na forma de distribuição de 25% do lucro obtido em determinado período;
  • Dar aos investidores o direito de votar nas assembleias da empresa.

Valorização das ações do Grupo Soma (SOMA3)

Assim que estreou na Bolsa, o Grupo Soma (SOMA3) teve uma alta em suas ações de 11%. Para se ter uma ideia, no dia 31 de julho de 2020, dia do seu lançamento, a cotação fechou em R$ 11,03, mas seu valor inicial era R$ 9,90.

Quase um ano depois, no dia 28 de junho de 2021, seu valor era de R$ 16,07. Portanto, se trata de um crescimento considerado importante. Ainda, não se pode esquecer que este é um período de pandemia e de crise econômica, o que afeta muitas empresas. Veja o gráfico:

Planilha de Ativos

Um dos principais exercícios para a compra de uma ação é saber se ela está cara ou barata. Para isso, preparamos um material especial para ajudá-lo nesta análise.

Maiores acionistas do Grupo Soma (SOMA3)

O Grupo Soma (SOMA3) é controlado pelos irmãos Jatahy, fundadores da Animale. No entanto, a sociedade é bastante diluída entre outros acionistas, inclusive os criadores da Farm.

Dentre os controladores, destaca-se Roberto Jatahy com 16,16%, o presidente da empresa, e Cláudia Jatahy com 15,68%. A gestora Opportunity Asset Administradora de Recursos de Terceiros detém 6,82% de ações. Veja como se dá a composição acionária do grupo:

  • Controladores: 61,31%;
  • Administradores: 0,05%;
  • Tesouraria: 0,82%;
  • Opportunity: 6,82%;
  • Outros: 31,00%;
  • Free Float (livre circulação na B3): 37,82%.

Balanço do primeiro trimestre (1T21) do Grupo Soma (SOMA3)

Apesar dos desafios enfrentados pelo setor, o Grupo Soma (SOMA3) registrou uma receita bruta de R$ 481,1 milhões, o que representa 17,0% a mais do que no 1T20. Neste último, o valor registrado foi de R$ 357,5 milhões.

O lucro bruto da companhia foi de R$ 228,5 milhões. Enquanto no mesmo período do ano passado este foi de R$ 174,1 milhões. Então houve um aumento de 31,3%. Já na margem bruta houve uma alta de 5,5 p. p. neste trimestre (64,6%).

Responsabiliza-se pelos bons números, a expansão dos canais digitais, que aumentaram as vendas na pandemia, e o ótimo desempenho da Farm Global. Aliás, só ela arrebatou cerca de R$ 39,1 milhões, o que representa 135,5% a mais do que no 1T20. Confira outros dados:

  • Ebitda: R$ 23,4 milhões (alta de 255%);
  • Margem Ebitda: 6,6%;
  • Lucro Líquido ajustado do Grupo Soma (SOMA3): R$ 14,9 (aumento de 446,5%);
  • Receita Farm Global Digital: R$ 16,1 milhões (alta de 152,8%);
  • Receita Farm Global Atacado: R$ 21,8 milhões (aumento de 152,3%).

Desempenho na crise

De certa forma, pode-se perceber um bom desempenho do Grupo Soma (SOMA3) durante a crise. Em parte, tal fato se deve às vendas no setor digital, que alavancaram a receita.

As recentes aquisições e diversificação do portfólio também influenciaram os resultados positivos. Além disso, para alavancar ainda mais a empresa, a mesma concluiu a plataforma de integração de estoques entre o Grupo e as multimarcas, +Vendas, que deve ser muito útil

Planos para o futuro do Grupo Soma (SOMA3)

Empenhada em expandir ainda mais e crescer seu capital, o Grupo Soma (SOMA3) está investindo muito nas vendas digitais. Para isso, além da plataforma +Vendas, ela pretende lançar app das marcas. Bem como a iniciativa Live Commerce, a Lojix.

Outra grande cartada da empresa é a fusão com a conhecida marca de roupas confortáveis, a Hering (HGTX3). O que pode ser visto como muito positivo para o Grupo e também para o desempenho de suas ações na Bolsa de Valores.