Sequoia (SEQL3): conheça a small cap e saiba como é seu serviço de logística

Ana Paula Schuster
Colaborador do Torcedores

A Sequoia (SEQL3) é uma transportadora que fornece serviços de entrega rápida e transporte rodoviário. Porém, ela também se responsabiliza por carga e descarga, com classificação setorial de bens industriais.

Municipal, Intermunicipal, estadual e interestadual são as modalidades que ela atua com soluções de logística. Desde já, você confere quais são suas estratégias e planos para o futuro da companhia.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

Apresentação da Sequoia (SEQL3)

Sequoia (SEQL3) é uma empresa de logística que utiliza tecnologia em seus serviços. Atualmente, ela é líder no Brasil entre as companhias privadas, considerando as entregas no e-commerce.

A gama de serviços disponíveis da firma tem foco em entregas expressas e outras soluções. Dentre elas, opções reversas para as plataformas de e-commerce de transporte e logística.

Para apoiar o crescimento do mercado brasileiro na categoria, a empresa desenvolveu uma plataforma tecnológica. Dessa forma, torna-se possível realizar operações de acordo com o perfil de cada cliente.

Modelo de negócios da Sequoia (SEQL3)

Serviços de Transporte B2C

  • Entregas expressas para regiões metropolitanas;
  • Disponibiliza entregas para clientes de vendas diretas e e-commerce;
  • Para algumas cidades, entrega em até 4 horas;
  • Logística reversa;
  • Múltiplas origens e shipping from store.

Soluções de Transporte B2B

  • FTL (Full-truck-load);
  • LTL (Less-than Truckload);
  • Logística reversa;
  • Field Services.

Serviços de Logística

  • Fulfillment e Cross-docking;
  • Armazenamento in house;
  • Capacidades do centro de distribuição;
  • Refurbishing.

Missão da empresa

A missão da empresa consiste em propor sempre as melhores soluções logísticas para os clientes. Entretanto, ela não deve somente elaborar, como também executar essas soluções de maneira ideal.

Visão da companhia

Seguindo a linha de raciocínio vista acima, a companhia tem em sua visão o reconhecimento. Ou seja, ela pretende ser a grande referência em logística multicanal para o mercado nacional.

História da Sequoia (SEQL3)

A Sequoia (SEQL3) surgiu no ano de 2010, fundada por Armando Marchesan Neto, atual CEO. Em resumo, a empresa é resultado de diversas experiências anteriores do criador, bem como;

  • Natura;
  • Submarino.

Dois anos depois da sua fundação, a companhia recebeu a primeira injeção de capital. Na época, esse aporte foi utilizado para comprar outra empresa: a Linx Fast Fashion. Posteriormente, ela pôde atender ao segmento da moda com seus serviços.

Histórico da transportadora

  • 2014: Recebeu novo investimento, dessa vez do fundo Warburg Pincus;
  • 2016-17: Adquiriu a empresa YepLog;
  • 2018: Fez a aquisição da TEXLOG;
  • 2019: Tornou-se a líder nacional em e-commerce após adquirir a NowLog;
  • 2020: Adquiriu outras duas companhias: TA e Direcional.

Junto à sua expansão, a Sequoia (SEQL3) também seguiu aumentando sua base de clientes. Dessa forma, ela passou a oferecer serviços para consumidores dos mais diversos segmentos, como:

  • Moda e casa;
  • Cosméticos;
  • Bens de consumo;
  • Telecomunicações;
  • Aparelhos eletrônicos;
  • Informática.

Princípios que a transportadora trabalha

Em suas operações, a empresa procura sempre trabalhar com base nos seguintes princípios:

  • Trabalhar para ser sempre a melhor solução;
  • Paixão para entregar em quantidade e qualidade;
  • Atuação com flexibilidade;
  • Foco no trabalho em equipe;
  • Crescimento em conjunto com o cliente;
  • Gerar valor com inovação e sustentabilidade.

Estratégia Sequoia (SEQL3)

Em geral, a Sequoia (SEQL3) procura investir num segmento em ascensão, mas ainda pouco explorado. Assim, com as aquisições recentes, a meta se resume em dois princípios fundamentais:

  • Crescer o portfólio com novos tipos de soluções;
  • Aumentar o raio de alcance da rede de distribuição.

Os resultados vêm aparecendo aos poucos, com a melhoria da posição da empresa em entregas. Nesse sentido, as regiões Norte e Nordeste são exemplos que ilustram esse fortalecimento na categoria.

Diferenciais da empresa

Ainda se tratando de suas estratégias e perspectivas, a empresa confia em diversos pontos. Dessa maneira, os elementos nos quais ela confia para oferecer suas soluções são os seguintes:

  • Histórico bem sucedido da Sequoia (SEQL3) na categoria de logística fracionada;
  • Integração de e-commerce e varejo nas suas operações;
  • Especialidade em comércio virtual;
  • Execução dos serviços de maneira automatizada;
  • Foco em transparência;
  • Cadeia de distribuição que conta com equipe experiente e bem qualificada;
  • Operações flexíveis;
  • Soluções personalizadas para proporcionar maior lucro e economia aos clientes;
  • Preocupação em construir laços de relação duradouros e confiáveis;
  • Armazenamento e transporte geridos por sistemas WMS e TMS;

Compromissos do lado sustentável

  • Conscientização da importância da sustentabilidade para a companhia;
  • Ter experiência na categoria;
  • Usar essas experiências para sensibilizar as pessoas;
  • Manter a consistência nas atitudes e no discurso.

Segmento da bolsa

Os segmentos de listagem da bolsa são basicamente categorias onde as empresas estão distribuídas. Para o investidor, esse indicador mostra como as companhias se organizam e também seu comprometimento.

Esses segmentos, então, servem para transmitir maior confiança ao acionista para ele investir com segurança. Ao todo, são 5 as categorias presentes na B3, sendo elas:

  1. Bovespa Mais;
  2. Bovespa Mais Nível 2;
  3. Novo Mercado (NM);
  4. Nível 2;
  5. Nível 1.

Dentre estes, destaca-se o Novo Mercado, que é o segmento da Sequoia (SEQL3). Esta categoria representa o nível mais alto de Governança e serve como modelo de transparência.

Desempenho no último balanço da Sequoia (SEQL3)

Apesar do prejuízo líquido de R$ 3,7 milhões no último balanço, o desempenho não foi de todo ruim. Por exemplo, a empresa viu sua receita crescer, além do valor de geração de caixa.

Os pontos positivos, segundo a empresa, devem continuar fortes pelo plano de ampliar sua atuação. Além disso, existe também a ideia de integrar o ESG na estratégia de negócio.

A construção desse projeto de Plano Diretor está em andamento para finalizar em 2022. Não apenas isso, como também a publicação do primeiro Relatório Integrado que deve ocorrer no próximo ano.

Desempenho na crise

Durante a crise pela pandemia do novo Coronavírus, a Sequoia (SEQL3) manteve seu desempenho. Aliás, ela viu seu lucro dobrar no ano de 2020 no período junto às aquisições.

Na base anual, seu lucro líquido ajustado cresceu 144%, cerca de R$ 30,7 milhões. Isso é o resultado da demanda provocada pelo crescimento do e-commerce e pelas compras recentes.

Os investimentos para expandir seus negócios incluíram a aquisição de outras companhias, como:

  • Direcional;
  • Prime Express;
  • Prime Time.

Houve também aplicação de recursos em tecnologia para implementar dispositivos automatizados nos serviços de entrega. Por último, está nos planos da empresa continuar essas atividades ao longo dos próximos anos.

Valorização das ações – Gráficos

Desde a sua entrada na bolsa, a Sequoia (SEQL3) vem apresentando resultados interessantes nas ações. Desde já, você confere um gráfico mostrando a valorização dos papéis nos últimos 12 meses:

 

Em 7 de outubro de 2020, as ações da empresa valiam R$ 12,20. Meses depois, em 30 de junho de 2021, os papéis chegaram a R$ 28,14. Em outras palavras, houve uma grande valorização da companhia na bolsa: 130,65%

Maiores acionistas da Sequoia (SEQL3)

Boa parte das ações vendidas em bolsa representam 56,72% do total dos papéis. Em 26/04/2021, a distribuição dos investidores era da seguinte forma:

  • 8.552 pessoas físicas;
  • 51 pessoas jurídicas;
  • 300 institucionais.

Quanto aos maiores acionistas em 12/05/2021, você confere abaixo com seus respectivos percentuais:

  • Itaú Unibanco S.A – 11,35%;
  • Compass Group LLC – 7,64%;
  • Fram Capital Sherman II Fip Multiestratégia – 6,72%;
  • Morgan Stanley – 5,41%.

Governança Corporativa

Sobre a parte de governança, a companhia não foge muito dos padrões com essa estrutura:

  • Diretoria;
  • Conselho de Administração.

Diretoria: confira abaixo os diretores da Sequoia (SEQL3)

  • Arnaldo Marchesan Neto – Presidente (CEO);
  • Bruno Henrique Souza – Vice-Presidente de Operações;
  • Christian Horst Alves Reis – Executivo;
  • Diná Ribeiro de Carvalho – Gente & Gestão e Sustentabilidade;
  • Eric Toshiyuki Ichikawa – Executivo;
  • Fernando Stucchi Alegro – Relações com Investidores e CFO;
  • Luiz Fernando de BIazzi – Executivo;
  • Marcelo Issao Yonaha – Executivo;
  • Paulo Edson Guedes – Executivo;
  • Rogério Fonseca de Macedo – Vice-Presidente Comercial.

Conselho de Administração – Membros

  • Gregory Louis Reider – Presidente do Conselho;
  • Armando Marchesan Neto – CEO;
  • Frances Yumi Fukuda Alvim;
  • Piero Paolo Picchioni Minardi;
  • Elisabete Waller Alves;
  • Marcelo Lopes Cardoso – Independente;
  • Sonia Regina Hess de Souza – Independente.

Balanço do primeiro trimestre da Sequoia (SEQL3)

No primeiro trimestre (entre janeiro e março) deste ano, a Sequoia (SEQL3) divulgou seus resultados. Bem como citado acima, ela teve um prejuízo de R$ 3,7 milhões. Porém, houveram outros números para destacar, como:

  • Receita Bruta: R$ 387,2 milhões – aumento de 101% comparando com 1T20;
  • Receita Líquida: R$ 326,4 milhões – alta de 97% em comparação com 1T20;
  • Ebitda: R$ 30,6 milhões – crescimento de 146% vs 1T20;
  • Lucro Bruto: R$ 59,8 milhões – incremento de 104% comparando com 1T20.

No panorama geral, a empresa vê os números como robustos, que confirmam seu crescimento sustentável. Juntamente com isso, também incluiu o crescimento gerado pelas aquisições, fortalecendo seu compromisso no setor.

As aquisições de janeiro e março

Outro destaque feito pela Sequoia (SEQL3) na divulgação dos seus resultados foram as novas aquisições. Dessa maneira, ao todo foram feitas três entre janeiro e março, sendo elas:

  • Prime;
  • Frenet;
  • Plimor.

A Prime Express, em resumo, atua no setor de logística para grandes mercadorias em B2C. Atualmente, atua em diversas regiões e se complementa à Direcional, comprada em outubro de 2020.

Também atuando em B2C, a Frenet foca em apresentar soluções digitais de transporte. Desde 2015, a companhia se integra com outras 80 plataformas de e-commerce e possui 14 mil sellers ativos.

A empresa gaúcha Plimor, foi adquirida na modalidade assinatura vinculante e atua com foco em:

  • Transporte de e-commerce leve (30kg);
  • Carga fracionada.

Sua intenção com essa compra foi incrementar sua atuação nos segmentos B2C e B2B.

Se você quer conhecer mais sobre as small caps, inscreva-se no Small Caps Summit. O evento é totalmente online e gratuito, e acontece entre os dias 27 e 28 de julho, clicando aqui!