Confiança da Indústria atinge em junho maior patamar desde fevereiro

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: CNI/Miguel Ângelo

O Índice de Confiança da Indústria, calculado pela FGV, subiu 3,4 pontos em junho para 107,6 pontos, maior valor desde fevereiro (107,9 pontos).

Em médias móveis trimestrais, o índice subiu 1,1 ponto.

“Pelo segundo mês consecutivo, houve melhora na confiança da indústria influenciada pelo avanço das expectativas em relação aos próximos meses. A recuperação das economias externas e o avanço do processo de vacinação no país contribuem para o aumento do otimismo das empresas. Apesar disso, é preciso cautela considerando que o setor ainda enfrenta dificuldades ainda com a escassez de insumos, aumento dos custos que incluem a mudança de bandeira para a energia elétrica, podendo ser fatores limitadores para uma recuperação mais robusta no segundo semestre”, comenta Claudia Perdigão, responsável pela pesquisa.

O resultado do mês é influenciado tanto pela melhora da situação corrente quanto pelo aumento do otimismo em relação aos próximos meses.

O Índice Situação Atual subiu 1,8 ponto, para 111,3 pontos. já o Índice de Expectativas subiu 5 pontos, para 104 pontos, sendo o segundo mês consecutivo a registrar variação positiva após quatro meses de queda.

Quer começar o dia bem-informado com as notícias que vão impactar o seu bolso? Clique aqui e assine a newsletter EQI HOJE!

O Nível de Utilização da Capacidade Instalada subiu 1,6 ponto percentual, para 79,4%, maior valor desde janeiro (79,9%).