Confiança de Serviços sobe em abril, mas ainda não se recupera totalmente do tombo de março

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Flickr

O Índice de Confiança de Serviços, calculado pela FGV, subiu 4,1 pontos em abril, para 81,7 pontos, após três quedas consecutivas.

Segundo Rodolpho Tobler, economista responsável pela pesquisa, porém, o resultado positivo deve ser visto com cautela. Isso porque ele compensa apenas 73% das perdas na passagem de fevereiro par março, quando o índice foi de 83,2 para 77,6 pontos.

“A acomodação dos indicadores que representam a situação atual os mantém em patamar muito baixo, confirmando as dificuldades enfrentadas pelas empresas do setor nos últimos meses. A continuidade da recuperação nos próximos meses depende de sinalizações mais positivas em relação à pandemia e à ampliação do programa de vacinação”, ele explica.

O Índice de Situação Atual variou 0,4 ponto acomodando-se em 74,8 pontos, após sequência de três quedas seguidas.

O Índice de Expectativas subiu 7,4 pontos, para 88,7 pontos, revertendo parcialmente a perda acumulada nos três primeiros meses deste ano (-10,7 pontos).

confiança de serviços

Reprodução/FGV