Confiança da Indústria sobe 0,8 ponto, mas com desaceleração do otimismo

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Divulgação/CNI

O Índice de Confiança da Indústria, calculado pela FGV, subiu 0,8 ponto em julho para 108,4 pontos, maior valor desde janeiro (111,3 pontos). Em médias móveis trimestrais, o índice subiu 1,6 ponto.

“A confiança da indústria avança pelo terceiro mês consecutivo. Há acomodação das avaliações sobre o momento atual. Mas há desaceleração do otimismo das empresas em relação aos próximos meses”, afirma a economista Claudia Perdigão.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

Segundo ela, as empresas ainda enfrentam um cenário de escassez de insumos, possibilidade de racionamento energético e alta incerteza econômica.

O Índice de Situação Atual subiu pela segunda vez, variando 0,5 ponto, para 111,8 pontos. O Índice de Expectativas subiu 0,9 ponto para 104,9 pontos, o terceiro mês de alta consecutiva. Ambos retornam ao patamar de janeiro desse ano.

O Nível de Utilização da Capacidade Instalada subiu 0,7 ponto percentual, para 80,1%, maior valor desde novembro de 2014 (80,3%).

Money Week 5ª Edição

5 Dias de Evento | 70 Autoridades do Mercado Financeiro | 20 Horas de Conteúdo

confiança da indústria

Reprodução/FGV