Confiança da Construção fica estável em setembro, em 96,4 pontos

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Créditos: Agência Brasil/Tânia Rego

Índice de Confiança da Construção, da FGV, se manteve relativamente estável ao variar 0,1 ponto em setembro, para 96,4 pontos, maior nível desde fevereiro de 2014 (96,7 pontos).

Em médias móveis trimestrais, o índice avançou pelo quarto mês consecutivo, desta vez, 1,3 ponto.

confiança da construção

Reprodução/FGV

“Depois de quatro meses de crescimento contínuo, em setembro, a expectativa de melhora da demanda foi corrigida para baixo, sob efeito da elevação das taxas de juros do crédito imobiliário: o segmento de Edificações Residenciais foi o que acusou a maior queda do indicador de demanda prevista”, explica a pesquisadora Ana Maria Castelo.

Ainda assim, ela afirma, a confiança das empresas acomodou num patamar mais favorável desde 2014 por uma ligeira melhora da percepção sobre a situação corrente.

O Índice de Situação Atual subiu 0,8 ponto, para 92,7 pontos, maior nível desde agosto de 2014 (93,0 pontos). Enquanto, o Índice de Expectativas recuou 0,7 ponto, para 100,2 pontos, nível neutro.

O Nível de Utilização da Capacidade (NUCI) da Construção aumentou 1,9 ponto percentual (p.p.), para 75,0%.

Custo da Construção

Outro dado divulgado nesta segunda-feira (27) pela FGV foi o Índice Nacional de Custo da Construção, que subiu 0,56% em setembro, repetindo a taxa do mês anterior.

Com este resultado, o índice acumula alta de 11,99% no ano e de 16,37% em 12 meses.