FGV: Confiança da Construção recupera nível do início do ano

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O Índice de Confiança da Construção, calculado pela FGV, subiu 5,2 pontos em junho, chegando a 92,4 pontos e registrando a segunda alta consecutiva.

“Com a maior alta mensal desde julho do ano passado, o indicador recuperou o nível do início do ano. Vale destacar o avanço dos dois componentes, sinalizando uma melhora do ambiente de negócios atual com repercussão muito positiva sobre as expectativas. A pressão dos preços das matérias primas sobre os orçamentos e novos projetos não arrefeceu e continua sendo um dos grandes obstáculos às atividades das empresas. No entanto, prevaleceu a percepção de que a alta dos preços não está afetando a demanda, que voltou a crescer. A grande questão que se levanta é em que medida essa melhora se sustenta, ou seja, se a demanda suportará o repasse dos aumentos de custo”, avalia Ana Maria Castelo, coordenadora da pesquisa.

Confiança da Construção

Reprodução/FGV

O Índice de Situação Atual subiu 4 pontos, para 89,5 pontos, maior nível desde fevereiro deste  ano (90,0 pontos).

O Índice de Expectativas avançou 6,4 pontos, para 95,4 pontos, maior nível desde de dezembro de 2020 (95,5 pontos).

O Nível de Utilização da Capacidade (NUCI) da Construção subiu 3 pontos percentuais, para 77,4%.

A FGV também divulgou hoje que o Índice Nacional de Custo da Construção subiu 2,30%, ante leitura anterior de 1,80%. Com este resultado, o índice acumula alta de 9,38% no ano e de 16,88% em 12 meses.