Confiança da construção recua para nível mais baixo desde julho de 2020

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Flickr

A confiança do setor de construção caiu 3,8 pontos em abril, aponta a FGV nesta terça-feira (27).

O Índice de Confiança da Construção chegou a 85 pontos, o mais baixo desde julho de 2020, quando era de 83,7 pontos.

Segundo a coordenadora da pesquisa, Ana Maria Castelo, houve aumento do pessimismo, mas principalmente deterioração da percepção dos empresários com relação à situação atual dos negócios.

“O cenário setorial vem piorando desde outubro, refletindo a preocupação com a escassez e, principalmente, elevação dos custos. O problema persiste e não dá indicações de trégua, atingindo contratos em andamento e dificultando a precificação dos produtos”, ela afirma.

O Índice de Situação Atual recuou 3,5 pontos, para 84,3 pontos, a quarta queda consecutiva.

Já o Índice de Expectativas caiu 4 pontos, para 86 pontos, o menor patamar desde junho de 2020 (83,2 pontos), acumulando perda de 13,1 pontos nos últimos seis meses.

O Nível de Utilização da Capacidade da Construção subiu 5,3 pontos percentuais, para 77,1%.

confianca da construcao

Reprodução/FGV

Custo da Construção

Também divulgado hoje pela FGV, o Índice Nacional de Custo da Construção – M (INCC-M) variou 0,95% em abril, percentual inferior ao apurado no mês anterior, quando variou 2%.

Com este resultado, o índice acumula alta de 5,03% no ano e de 12,82% em 12 meses.