Compras e vendas de CDBs se intensificam; veja se compensa investir

Natalia Gómez
Editora, é jornalista especializada no mercado de investimentos há 17 anos. Formada pela PUC-SP, teve experiências em veículos como Agência Estado, Valor Econômico e Revista Você SA; e na área de comunicação corporativa e relações públicas para instituições financeiras.
1

Foto: cdb-img-capa

O mercado de Certificados de Depósitos Bancários (CDB) está aquecido durante a crise do coronavírus. De um lado, o fluxo de vendas aumentou, já que muita gente está precisando de caixa.

Ao mesmo tempo, muitos investidores estão enxergando os CDBs como alternativa mais segura neste momento de risco, e partindo para as compras.

“O giro está muito grande. Tem bastante gente saindo, e ainda mais gente entrando”, afirma o diretor comercial da Easynvest, Fabio Macedo.

Confira em detalhes o que está acontecendo neste mercado e em quais situações vale a pena investir:

Investidores procuram segurança

Diante da turbulência de todos os mercados, os investidores estão em busca de segurança.

Neste contexto, os CDBs – títulos emitidos pelos bancos – estão surgindo como uma boa alternativa. “O fluxo para CDBs está positivo, tem muitos clientes procurando alternativas de renda fixa”, afirma o diretor da Easynvest.

Segundo dados da B3, o estoque de CDBs passou de R$ 960 bilhões para R$ 1,06 trilhão desde o dia 02 de março até hoje. O estoque equivale aos títulos já emitidos, subscritos e ainda não vencidos.

Para efeito de comparação, este crescimento de R$ 100 bilhões que ocorreu neste mês é maior do que o aumento de estoque registrado em 2019 inteiro, que foi de R$ 70 bilhões.

Ao mesmo tempo, o movimento dos investidores que estão vendendo seus CDBs antes do vencimento aumentou. Isso porque  muitos precisam de caixa neste momento. Com isso, as oportunidades de encontrar CDBs com retornos altos aumentou.

Rentabilidade dos CDBs em alta

Por isso, hoje é possível achar CDBs com taxas muito atrativas. “Na nossa plataforma tem alternativas que rendem até 180% do CDI. Fazia muito tempo que não víamos retornos assim disponíveis em CDBs”, afirma.

O trader de renda fixa da Genial Investimentos, Victor Almeida, destaca que muitas das oportunidades estão nos CDBs emitidos por bancos médios. Isso porque estes bancos precisam fortalecer o caixa neste momento de crise. “Eles estão oferecendo taxas mais elevadas para atrair o investidor”, explica.

Opções pouco usuais, como CDBs com renda mensal, também estão aparecendo em maior volume neste cenário, segundo o especialista da Genial. “Dá para perceber a maior criatividade dos bancos médios neste momento”, diz.

No caso dos CDBs de liquidez diária, existem opções de bancos médios que rendem 103% do CDI neste momento. De acordo com Almeida, no final do ano passado esta rentabilidade não passava de 98%.

Procura por CDBs aumentou

De acordo com dados do App Renda fixa, a procura de clientes por CDBs cresceu 110% em março ante fevereiro. Na comparação com janeiro, o avanço foi de 228%.

Diante da volatildiade atual, os investidores também estão buscando segurança em outros ativos, como o Tesouro Selic e fundos DI com baixo risco, destaca Macedo.

Segundo o CEO do App Renda Fixa, Francis Wagner, a demanda por Letras de Câmbio (LC) também tem aumentado.

“As LCs têm alta procura neste momento por conta das taxas mais altas e por terem características similares aos CDBs”, afirma.  A procura por este ativo avançou 123% ante fevereiro e 236% em comparação com janeiro.

 

Melhor optar por CDB de curto prazo

Para quem tem reserva de capital para viver durante pelo menos um ano, comprar CDBs de longo prazo pode ser uma boa opção.

Caso contrário, é melhor escolher CDBs com prazo de vencimento mais curto. De preferência, com liquidez diária, ou seja, pode ser vendido todos os dias.

A orientação é do educador e consultor financeiro André Massaro. Ele destaca que o mercado está muito imprevisível neste momento, e poucos são os investidores que podem alocar seus recursos em ativos com baixa liquidez.

Vale lembrar que existem CDBs com prazos muito longos, como três ou cinco anos sem poder sacar.

“Neste momento, prefira CDBs de liquidez diária, pois você não sabe quando vai precisar deste dinheiro novamente”, afirma Massaro.

O diretor da Easynvest concorda que comprar os CDBs com bons retornos agora é interessante. No entanto, ele destaca que os de baixa liquidez devem ser comprados somente por quem tem capital disponível para o longo prazo.