Companhias aéreas vão exigir que passageiros usem máscaras

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Projeção da IATA para as empresas aéreas é negativa por causa do coronavírus

As principais companhias aéreas do mundo resolveram tomar uma atitude para proteger pilotos e comissários de bordo da contaminação pelo coronavírus.

De acordo com o jornal The New York Times desta sexta-feira (1), as gigantes do setor, não apenas nos Estados Unidos, mas em todo o mundo, passarão a exigir o uso de máscaras por parte dos passageiros.

“As coisas mudaram rapidamente, em apenas duas ou três semanas”, resumiu Robert Isom, presidente da American Airlines, ao admitir que as empresas demoraram em tomar medidas para garantir a segurança dos funcionários.

“Hoje prevemos contar com estoques amplos de álcool em gel. No caso das máscaras, é um problema logístico levar os estoques para os lugares certos, mas temos estoque suficiente para nossos funcionários”, completou o executivo.

Associação de Comissários reclamou

A medida tomada pelas empresas aéreas vem após a Associação de Comissários reclamar abertamente da falta de segurança para trabalhar.

Sara Nelson, presidente do órgão, postou no Twitter uma foto amplamente compartilhada mostrando um avião lotado da American Airlines com alguns passageiros sem máscaras.

“Chega! Isso aconteceu hoje, em um voo de quatro horas. Isso não está correto. Máscaras têm que ser obrigatórias em aeroportos e em aviões. Voos essenciais só com os equipamentos de proteção”, clamou, em sua publicação.

Outras medidas

A reportagem do The New York Times também revelou que Peter A. DeFazio, deputado democrata de Oregon, solicitou ao diretor da Administração Federal de Aviação (FAA), Stephen Dickson, outras medidas além do uso das máscaras.

Para DeFazio, que também é presidente do Comitê da Câmara para Transportes e Infraestrutura, é fundamental que as empresas aéreas aumentem o espaço entre os passageiros como forma de impedir a disseminação da Covid-19.

Os senadores Edward J. Markey (Massachusetts) e Richard Blumenthal (Connecticut) engrossaram o coro e pediram que o Departamento dos Transportes e o Departamento de Saúde promulguem regras semelhantes.

“É urgente e claramente necessária uma regra emergencial impondo o uso de máscara facial para todas as pessoas que fazem viagens aéreas”, decretaram, em carta.

FAA endossa pedidos

A FAA informou, em comunicado, que Stephen Dickson compartilhou das preocupações do deputado DeFazio e que espera ver nas empresas aéreas obediência às determinações do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC).

“Se você quer controlar a propagação de uma doença numa comunidade, o meio mais eficaz é controlar a doença na fonte”, comentou Henry Wu, diretor do Centro Emory TravelWell, em Atlanta, que presta serviços de saúde a passageiros internacionais.

Wu defendeu o uso de máscaras e reiterou que a posição de algumas companhias aéreas sobre a eficiência de seus sistemas de filtragem de ar não é suficiente para evitar a propagação da Covid-19.

“Se você está sentado a menos de dois metros de distância de outras pessoas, é óbvio que há alguns problemas de proximidade imediata que não podem ser resolvidos por sistemas de filtragem do ar”, concluiu.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

Empresas aéreas devem manter redução de 90% em maio