EconomiaInvestimentosNotícias

Como se livrar da corretagem migrando ações de bancos para corretoras

Estudos mostram que a taxa de corretagem dos bancos pode fazer com que o investidor perca boa parte do capital investido.

investimento ganhos xadrez fundos bovespa renda fixa tesouro direto 1448483183586 1920x1280 1024x683 - Como se livrar da corretagem migrando ações de bancos para corretoras

Ao longo do tempo, investidores têm percebido que manter o seu dinheiro em bancos é uma estratégia muito ruim. Análises demonstram que alguns investimentos geram mais lucros para as instituições financeiras do que para os próprios investidores e mais de um milhão de brasileiros investem atualmente nessas aplicações.

Esses estudos se aplicam ao Fundo de Renda Fixa referenciado na taxa DI e aos fundos de curto prazo, entretanto, isso não quer dizer que outros tipos de investimentos, que são ofertados pelos bancos, apresentam vantagens para os seus clientes.

Pelo contrário: alguns produtos oferecidos pelos bancos visam atender às necessidades da própria instituição financeira e, oferecem baixa rentabilidade para o cliente que os adquire. Além disso, em muitos casos, há também a cobrança de taxas e a exigência de altos valores na forma de investimento mínimo.

Situação parecida também acontece quando se fala em investimentos em ações, pois as corretoras de investimentos de alguns dos principais bancos costumam cobrar, para além de taxas padrão de liquidação, emolumentos e impostos como ISS, PIS e COFINS, uma taxa de corretagem de até R$ 20 por ordem.

Já em outras instituições financeiras, essa taxa de corretagem é variável e tem como base o valor da ordem. No Banco do Brasil, por exemplo, a taxa é de R$ 20 sobre ordens de até R$ 100 mil, contudo, já se o valor ultrapassar esse limite, se cobra R$ 20 a cada múltiplo de R$ 100 mil ou fração do volume financeiro que foi negociado.

Esse valor é cobrado por conta da intermediação feita pelo banco para o envio de uma ordem à Bolsa de Valores. Isso tem um grande impacto sobre os lucros de quem investe, pois há a perda de parte do capital do investimento por conta do pagamento de taxas. O prejuízo é ainda maior quando essa taxa é do tipo variável.

Nos bancos, comumente é cobrada uma taxa da custódia, que tanto pode ser fixa quanto variável. Para se ter uma ideia, a taxa de custódia cobrada pelo Itaú é fixa em R$ 15,80 a.m., já o Banco Santander e o Banco do Brasil cobram taxas variáveis que chegam a 0,0130% a.m.

Existem no mercado algumas corretoras que isentam seus clientes da temida taxa de custódia. É o caso, por exemplo, da XP, da Rico e da Clear.

Prancheta 1 80 1024x576 - Como se livrar da corretagem migrando ações de bancos para corretoras

Como migrar investimentos para uma corretora

A vantagem de migrar os investimentos para uma corretora é que não há a necessidade de vender as ações e recomprá-las posteriormente. O processo de transferência de custódia é simples, rápido e ainda não possui nenhum custo.

Confira, passo a passo, como fazer esse processo de migração:

  • Abra uma conta em uma corretora escolhida para realizar os investimentos;
  • Baixe o documento de Solicitação de Transferência de Valores Mobiliários disponibilizado pela corretora. Normalmente esse documento encontra-se disponível no site da corretora. O seu preenchimento é simples e deve conter os dados da corretora de origem (cedente) e também a conta da corretora de destino (cessionária), além da relação de quais os ativos serão transferidos (deve-se especificar a sigla da ação, o tipo, a quantidade e o preço de custo);
  • O documento preenchido deve ter firma reconhecida por autenticidade em cartório. Além disso, vale ressaltar que a conta aberta na nova corretora deve possuir o mesmo titular da anterior;
  • Entre em contato com a corretora originária para receber orientações de como enviar o documento reconhecido para a nova corretora. Logo após o envio, basta aguardar a finalização do procedimento de transferência.

É importante destacar que nessa transação o investidor não é cobrado por corretagem ou imposto de renda, pois trata-se de uma transferência em que o investidor não se desfez de suas ações.

Além disso, é necessário solicitar a transferência de dividendos e juros sobre capital próprio já pagos pelas empresas em que se investe, pois esses não são transferidos de forma automática para a nova corretora.

Quer mais detalhes?

Entre em contato com a Eu Quero Investir. Preencha o formulário abaixo para que um de nossos assessores de investimentos entre em contato com você e ajude a fazer o seu dinheiro render mais.

Se já quiser adiantar a nossa conversa, faça aqui no site mesmo, o seu teste de perfil. É de graça!

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

Tags
Mostrar mais

Késia Rodrigues - Colaboradora Independente

Colaboradora Independente do Portal EuQueroInvestir e leitora assídua de conteúdos sobre economia e política. Apaixonada por literatura, viagens, tecnologia e finanças.

Artigos Relacionados

Close