Como o vencimento das opções influenciam o preço das ações? Descubra!

Ronaldo Araújo
Engenheiro e Agente Autônomo de Investimentos, hoje me dedico a divulgar ensinamentos sobre como funciona a Previdência Privada. Acredito que com mais conhecimento é possível fazer melhores escolhas para a formação do patrimônio de longo prazo. Para saber mais acesse www.ronaldoaraujo.com.br
1

Foto: opções

As opções são instrumentos financeiros pertencentes ao mercado futuro. No entanto, não têm razão de existir a não ser em decorrência do mercado à vista. Para que esse casamento seja possível, é necessário que haja indicação de vencimento de uma opção sobre uma ação. Com isso, o preço das ações acaba sofrendo pressão quando uma determinada série de opções chega ao seu fim.

Neste artigo, será apresentado a você o conceito desse ótimo instrumento do mercado financeiro chamado opções. Você verá qual é seu exato funcionamento, assim como também os tipos existentes. Ao final você conhecerá como são estabelecidas as datas de vencimento e como esse dia afeta o preço das ações. Não perca mais tempo e leia agora mesmo!

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

O que é uma opção?

Uma das melhores formas de iniciar o entendimento a respeito de opções é conhecendo os conceitos de mercado à vista e mercado futuro (também chamado de mercado de derivativos). No primeiro caso, temos os ativos propriamente ditos e dessa forma negociam-se as mercadorias existentes de forma “à vista”. É aquela antiga transação de “aqui está o dinheiro” e “passe para cá o produto, por favor”.

No entanto, existem algumas operações que são um pouco mais estruturadas. Tratam-se dos mercados de derivativos. Ele tem esse nome exatamente porque seus instrumentos derivam de um determinado ativo objeto. Então, pode-se concluir que os derivativos não existem por conta própria. É necessário que se tenha o instrumento financeiro principal para que os derivativos sejam negociados.

Pois bem, as opções se encaixam em um dado tipo de instrumento derivativo. Elas derivam de diferentes ativos objetos, como ações e índices de ações. No presente artigo falaremos especificamente a respeito de opções que sofrem uma derivação de ações.

Como funcionam as opções?

Adicionalmente, vale frisar que toda opção é um contrato. Este pode ser de compra ou venda sobre um ativo (em nosso caso, as ações). Uma opção tem vencimento predeterminado. Ou seja, apresenta data de validade a expirar em um futuro próximo. Além disso, um contrato referente a uma opção deve descrever sobre qual ativo ela tem poder. Por fim, determina sob qual preço de negociação se dará a transação, caso ela ocorra.

Toda opção é um contrato que prevê um direito, mas não uma obrigação. Em outras palavras, o titular de uma opção exerce seu direito contratual apenas se quiser. Mas ele não é obrigado a isso. Obviamente, ele o fará apenas se as condições de mercado forem favoráveis.

Por exemplo, imagine que alguém é dono de uma opção (um contrato) que dá o direito de comprar ações da Vale a R$ 100. No entanto, no vencimento dessa opção, as ações da Vale valem R$ 80. Logicamente, o titular do contrato não exercerá seu direito. Pois é mais barato comprar no mercado à vista.

Ao contrário, se ação estiver valendo R$ 120, a situação muda. O dono da opção tem o direito de comprar as ações a R$ 80 independentemente do valor no mercado à vista. Com isso, ele poderá comprar a R$ 80 e imediatamente vender as mesmas ações por R$ 120. Ou seja, pelo preço de mercado. Portanto, o titular de uma opção exerce seu direito apenas se desejar. Do contrário, pode simplesmente “deixar para lá”.

Em contrapartida, o vendedor (também chamado de lançador) dessas opções tem a obrigação de vender suas ações caso o dono do contrato manifeste o interesse. Nos casos em que isso não ocorre, o lançador fica com o prêmio da opção sem precisar se desfazer dos ativos.

Quais são os tipos?

Conforme já falado, toda opção é um contrato e este prevê de forma muito bem definida alguns parâmetros. Por isso, todos que negociam esse instrumento precisam se atentar bastante para eles. Em primeiro lugar, determina o ativo objeto. Além disso, há a data de vencimento, o preço de negociação do ativo e o tipo de operação.

Neste momento, discutiremos a última característica apresentada de uma opção: seu tipo. Isso porque toda opção pode se referir a um direito de compra ou a um direito de venda. A seguir, seus principais atributos e formas de funcionamento são apresentados.

Opções de compra ou Call

Como o próprio nome diz, esses instrumentos financeiros são contratos que preveem um direito de compra. Dessa forma, o titular de uma opção de compra pode comprar um ativo pelo preço indicado no contrato até o dia de seu vencimento.

O exemplo abordado anteriormente considerou uma opção desse tipo. Se o preço no mercado à vista da ação objeto estiver abaixo do valor indicado no contrato (strike), não haverá negócio pois comprar mais caro que o preço momentâneo implica perda de dinheiro.

Na contramão desse movimento está a possibilidade de o ativo estar cotado acima do strike indicado no contrato. Conforme visto, é exatamente nessa situação que o titular de uma opção de compra exercerá seu direito, podendo embolsar lucros de maneira quase instantânea.

Opções de venda ou Put

Já as opções de venda são bem menos líquidas que as calls e têm seu funcionamento baseado no direito de venda. Ao contrário das opções de compra, quem detém um instrumento desse tem o direito de vender seus ativos objetos por um preço (strike) predeterminado.

Dessa forma, um investidor que possui ações em carteira pode “segurar” seu preço de venda em uma data futura. Se por acaso for constatada uma possibilidade de queda futura no valor de seus ativos, ele pode negociar o direito de venda futura na data que pensar que as ações sofreram queda forte.

Isso acaba funcionando como uma espécie de seguro para quem tem uma carteira de ações considerável. Ao invés de ficar à mercê dos movimentos de mercado, o titular das ações pode montar uma estratégia com opções de venda de forma a assegurar sua valorização no mercado à vista e atenuar os períodos de queda pelos quais sua carteira inevitavelmente passará.

Quais são as datas de vencimento?

O vencimento das opções sempre foi bastante simbólico para o mercado financeiro como um todo. A razão para isso é a oscilação causada nos preços das ações por ocorrência dos exercícios. A referência do vencimento também sempre foi bastante icônica: ocorrem sempre na terceira segunda-feira de cada mês.

No entanto, essa realidade perdurou até abril de 2021, pois a B3 (Bolsa, Brasil e Balcão) anunciou uma mudança em relação a essa data. A partir de maio de 2021, o vencimento se dará sempre na terceira sexta-feira de cada mês. Apesar de a alteração não ter sido tão significativa, afetou todo o processo de negociação.

Assimilado isso, também é importante saber que o mês de vencimento de uma opção consta em sua nomenclatura. É possível saber até quando uma opção é válida apenas observando seu nome, pois nele deve constar uma letra referente ao seu mês de vencimento. A letra varia conforme o mês e também com o tipo de opção, se é de compra ou se é de venda.

A tabela abaixo apresenta um resumo a respeito do vencimento de opções.

Money Week 5ª Edição

5 Dias de Evento | 70 Autoridades do Mercado Financeiro | 20 Horas de Conteúdo

MêsCallPut

Janeiro

A

M

Fevereiro

B

N

Março

C

O

Abril

D

P

Maio

E

Q

Junho

F

R

Julho

G

S

Agosto

H

T

Setembro

I

U

Outubro

J

V

Novembro

K

W

Dezembro

L

X

Como o vencimento das opções afeta o preço das ações?

Ao redor de uma ação existem opções com diferentes strikes de vencimento. Ou seja, há opções com diferentes preços de exercício aguardando o vencimento.

Quando essa data chega, ocorre uma espécie de guerra entre os titulares das opções (quem comprou o contrato) e os lançadores (quem vendeu). De certa forma, os titulares das opções de compra desejam que o preço do ativo se eleve, pois poderão adquirir o ativo “dentro do dinheiro”. Com isso, tem lucro imediato e sem risco.

Na outra ponta temos os lançadores que forçam o preço para baixo, pois com o preço de exercício acima do preço à vista das ações não enseja seu exercício. É assim que eles podem ficar com o prêmio (valor do contrato de opção) negociado anteriormente. Trata-se de uma estratégia de remuneração de carteira em que se ganha se não houver exercício.

Esse é apenas um dos fatores responsáveis pela oscilação dos preços nas ações em dias de vencimento. O encontro do mercado futuro com o mercado à vista sempre ocasiona isso. No entanto, esse fato não deve ser considerado uma anomalia. Muito pelo contrário! É graças a esse movimento que as mercadorias acabam sendo protegidas por operações de hedge que utilizam as opções como agentes financiadoras.

Em resumo, as opções são instrumento fantásticos. Elas dão enorme segurança ao mercado à vista e, no caso das ações, promovem uma segurança maior na carteira. Para que isso ocorra, os titulares de ações podem fazer lançamento coberto ou mesmo comprar opções de vendas para garantir um preço justo no futuro, caso haja previsão de desvalorização dos ativos. Inclusive essa é a principal razão para que exista tradicionalmente um oscilação de preço no mercado à vista no dia do vencimento das opções.