Como montar uma Carteira de Dividendos

Késia Rodrigues
Colaboradora Independente do Portal EuQueroInvestir e leitora assídua de conteúdos sobre economia e política. Apaixonada por tecnologia, investimentos e viagens.
1

Crédito: Banco de Imagens Pixabay/By Gerd Altmann.

Viver de renda é um dos principais objetivos de quem investe, por isso, saber como montar uma carteira de dividendos é muito importante.

O mercado de renda variável pode parecer assustador para a grande maioria dos investidores, entretanto, é uma maneira fantástica de turbinar o rendimento de suas aplicações, principalmente quando você investe em ações de companhias boas pagadoras de dividendos.

Quando você cria uma carteira focada em dividendos, o seu principal objetivo não é lucrar com a compra e venda de ações no curto prazo.

Na realidade, quem realiza esse tipo de investimento tem um foco no longo prazo e visa o lucro que as suas ações podem gerar durante esse tempo por meio do pagamento dos dividendos.

No entanto, há uma série de detalhes importantes que devem ser observados antes de começar a montagem de uma carteira de dividendos.

Por isso, neste artigo, daremos uma série de dicas para você que está começando ou se interessa pelo assunto. Continue a leitura para saber mais sobre como montar uma carteira de dividendos vencedora.

O que são dividendos

Em primeiro lugar é importante explicar o que são dividendos, pois há muitos investidores, até mesmo experientes, que ainda não conhecem o conceito por trás deles.

Dividendo é, resumidamente, uma parcela do lucro de uma empresa, normalmente uma sociedade anônima, que é distribuída aos seus acionistas como uma forma de remunerá-los.

Por lei, as empresas listadas na Bolsa de Valores (B3) devem dividir (ou distribuir) 25% do seu lucro entre os seus acionistas na forma de dividendos.

Dividendos são parte do lucro de uma empresa que são distribuídos entre os acionistas

O mercado está repleto de empresas boas pagadoras de dividendos em que você pode investir por meio da B3.

Para isso, o primeiro passo é ter uma conta em uma corretora de valores, pois é por meio delas que você tem acesso à Bolsa e pode comprar ações.

Se você deseja saber como abrir uma conta em uma corretora, leia este artigo ou entre em contato com um dos assessores de investimentos da EuQueroInvestir por meio do formulário que está ao final desta página.

Mas como escolher as empresas que pagam bons dividendos?

Essa pergunta é uma das mais comuns entre os investidores que estão iniciando no universo dos dividendos, por isso, a responderemos no tópico abaixo.

Como escolher uma empresa para uma carteira de dividendos

Dentre as diversas estratégias que podem ser utilizadas por quem deseja investir na Bolsa, uma delas é a montagem de uma carteira focada em dividendos.

No entanto, escolher empresas que paguem bons dividendos é uma tarefa que pode exigir alguma dedicação da parte do investidor, pois são necessárias análises dos fundamentos dessas empresas e, também, de alguns indicadores.

Os principais indicadores são o DY (Dividend Yield) e o DP (Dividend Payout), do qual falaremos a seguir.

Dividend Payout

O Dividend Payout é o indicador que mostra ao investidor quanto do seu lucro líquido, uma empresa costuma distribuir aos seus acionistas por meio de dividendos ou de juros sobre o capital próprio.

Em sua análise, o investidor deve considerar, pelo menos, os últimos dez anos do DP de uma companhia, pois isso permitirá ter uma noção do perfil dessa empresa, ou seja, se ela costuma pagar bons dividendos a seus acionistas ou não.

Regra geral, as empresas com um bom DP costumam se manter assim com o passar dos anos. No entanto, situações adversas podem mudar essa realidade.

Por isso, o investidor deve sempre acompanhar o mercado e as empresas em que investe para identificar se elas continuam a ser interessantes do ponto de vista dos dividendos.

Dividend Yield

O Dividend Yield é um indicador que mostra ao investidor qual é o rendimento do dividendo pago por uma empresa.

Ele é fundamental na hora de analisar se vale a pena investir naquela companhia, principalmente quando se deseja saber como montar uma carteira de dividendos.

O DY é calculado com base no preço da ação e do valor dos dividendos recebidos pelo investidor.

Se uma pessoa adquiriu uma ação de determinada empresa por R$ 12,00, por exemplo, e a empresa pagou R$ 1,00 a título de dividendos em um semestre, o resultado do DY será: R$ 1 ÷ R$ 12 = R$ 0,08333…, ou seja, 8,33%.

Na prática, esse investidor obteve em seis meses o lucro de 8,33% com a sua ação, resultado que é bem melhor do que o obtido com a maioria das aplicações em renda fixa atuais, principalmente após o COPOM reduzir a Selic (taxa básica de juros) para 6%.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

Vale lembrar que o DY é um indicador que serve apenas como uma referência para o investidor, pois ele irá variar sempre a depender do valor pago pela ação no momento da compra.

Investir em dividendos significa investir no mercado de ações

Em nosso exemplo hipotético, utilizamos uma ação que foi adquirida a R$ 12,00. No entanto, imagine que você tenha comprado essa mesma ação em um momento de alta, em que ela era negociada a R$ 18,00.

Nesse caso, se fosse mantido o mesmo valor pago a título de dividendos (R$ 1,00 por ação), o percentual do DY seria de, apenas, 5,5%.

Já se a compra fosse feita em um período de baixa, em que a ação valia R$ 9,00, o DY seria de 11,1%.

Empresas que pagam bons dividendos também costumam ser bastante sólidas e, portanto, as suas ações costumam oscilar menos na Bolsa.

Assim, quem consegue adquirir ações dessas empresas em momentos de baixa, pode elevar bastante o seu resultado a título de DY.

Escolhendo empresas com bons fundamentos

Além dos indicadores acima, outra análise importante que o investidor deve fazer diz respeito aos fundamentos da empresa escolhida.

Em suma, essa análise serve para encontrar as empresas com bons fundamentos no mercado, ou seja, que geram valor a seus investidores.

Em regra, tal análise deve levar em consideração alguns indicadores da companhia, como, por exemplo, o seu lucro anual, o controle de sua dívida e o seu fluxo de caixa.

No geral, as empresas líderes de cada segmento da economia costumam ter melhores fundamentos. A sua posição no mercado, já consolidada, ajuda bastante nisso.

Essas empresas normalmente não precisam gastar muito dinheiro para reinvestir na própria atividade, uma vez que são negócios já bem desenvolvidos. Por isso, podem pagar dividendos maiores a seus investidores.

As empresas que estão em crescimento costumam reinvestir bastante o seu lucro em seus próprios negócios, portanto, na visão de especialistas, são desaconselháveis em uma carteira de investimentos focada em dividendos.

Como são feitos os pagamentos dos dividendos

Outro ponto de fundamental atenção na montagem de uma carteira de investimentos diz respeito à forma como as empresas pagam os dividendos a seus acionistas.

Há companhias que preferem fazer o pagamento de dividendos anualmente, contudo, outras podem pagar semestralmente, trimestralmente ou, até mesmo, mensalmente.

Os dividendos podem gerar renda para que você se aposente mais cedo

Essa análise é muito importante, principalmente se o seu objetivo é viver da renda que esses dividendos podem proporcionar.

Assim, enquanto você pesquisa sobre como montar uma carteira de dividendos, lembre-se de pesquisar sobre a política de pagamento de cada uma das companhias em que você pretende investir.

O seu objetivo com os dividendos é um fator que influencia em sua análise. Por exemplo, quem deseja viver de renda, pode priorizar empresas que paguem dividendos mensais ou semestrais para ter sempre algum dinheiro no bolso.

Já aqueles investidores que desejam ter uma boa renda em sua aposentadoria podem reinvestir os valores recebidos a título de dividendos, logo, podem escolher empresas que paguem uma vez ao ano ou a cada semestre.

Como você pode perceber, essa escolha dependerá essencialmente de sua estratégia e do que você pretende fazer com o dinheiro dos dividendos, que são depositados na conta que você abrir na corretora e o melhor: sem desconto do Imposto de Renda!

Quantas empresas devem compor uma carteira de dividendos

Os especialistas no mercado financeiro não são unânimes quando o assunto é a quantidade de companhias que devem fazer parte de uma carteira de dividendos.

No entanto, a grande maioria deles concorda que elas devem conter o máximo de 10 empresas.

Isso é importante, pois com mais empresas do que isso será mais difícil fazer um estudo aprofundado sobre cada companhia e, também, uma revisão periódica dos rendimentos obtidos com cada uma.

Também é importante que você diversifique os setores de atuação das empresas escolhidas, pois, dessa forma, você fica menos suscetível às oscilações naturais que ocorrem em alguns mercados.

Como montar uma carteira de dividendos

Lembre-se que a estratégia de investimentos focada em dividendos tem como principal característica as aplicações de longo prazo.

Ou seja, você não deve se preocupar muito com o sobe e desce do preço das ações, mas sim com o valor dos dividendos pagos pela companhia escolhida.

Considerações finais

Os dividendos são uma ótima maneira de obter lucro investindo, principalmente se o seu foco é, em algum momento, viver de renda com os seus investimentos.

Como você viu ao longo deste artigo, saber como montar uma carteira de dividendos não é um “bicho de sete cabeças” como muitos pensam.

É necessário estudo e dedicação por parte do investidor, contudo, uma vez que a sua carteira já esteja pronta, o tempo a ser gasto com ela a título de manutenção diminui bastante.

Como as ações das companhias boas pagadoras de dividendos costumam oscilar menos, você não precisará acompanhar o mercado o tempo todo, assim como fazem os Day Traders.

Se você chegou até aqui, recomendamos que separe mais alguns minutos do seu tempo para assistir ao vídeo abaixo, pois nele, Juliano Custódio explica em detalhes a estratégia para lucrar com dividendos:

Lembre-se de que não há uma única estratégia quando se deseja investir com foco em dividendos. Você pode, por exemplo, criar a sua carteira por conta própria ou investir em fundos de ações voltados para dividendos.

A escolha da melhor estratégia deve levar em consideração alguns fatos, tais como a sua vontade de aprender sobre o mercado e quanto dinheiro você pretende investir com foco em dividendos.

Para te ajudar nessa jornada, a EuQueroInvestir disponibiliza duas ferramentas bastante úteis!

Uma delas é o nosso teste de perfil de investidor. Se após a leitura deste artigo, você se interessou em investir em dividendos, saiba que antes é necessário verificar se o seu estilo como investidor é compatível com esse tipo de aplicação.

Isso porque os dividendos estão ligados às ações, que são investimentos considerados de alto risco no mercado financeiro.

Por isso, quem tem um perfil de investidor mais conservador, por exemplo, pode ter algum receio em aplicar seu dinheiro em um mercado tão volátil como a renda variável.

A segunda ferramenta é o nosso serviço gratuito de assessoria de investimentos. Os assessores de investimento são profissionais especialistas no mercado financeiro e que podem te ajudar fazendo um diagnóstico de suas atuais aplicações.

Além disso, esses profissionais também podem te auxiliar na montagem de sua carteira de investimentos, sempre tendo como base os seus objetivos e o seu perfil de investidor.

Aproveite essa oportunidade e conheça o serviço de assessoria de investimentos. Para isso, basta preencher o formulário que está ao final desta página.

Esperamos que esse conteúdo tenha sido útil para você e que, agora que você já sabe como montar uma carteira de dividendos, os resultados possam te surpreender.

Até a próxima!

Esta é a função de um Assessor de Investimentos

Entender o investidor em uma profundidade maior do que o gerente do seu banco ou corretoras digitais e monitorar o mercado em busca de oportunidades que se enquadram em sua realidade, são atribuições do Assessor de Investimentos.

O papel dele é unir seus objetivos pessoas e profissionais, momento financeiro, perfil de investidor e avaliar o mercado para te apoiar com os investimentos que estiverem alinhados com seu momento.

Disponibilizo abaixo, a oportunidade de você realizar um diagnóstico e tirar todas as suas dúvidas sobre investimentos, conversando com um especialista no assunto.

 

Se considera um investidor conservador? Então você está em risco de extinção!

O cenário econômico virou do avesso e o país já não é mais o mesmo.

As taxas de juros caíram à níveis jamais vistos no Brasil desde o final do governo Militar (imagem abaixo) e levaram os rendimentos de Renda Fixa para próximo de Zero (ou negativos no caso da poupança).

Italian Trulli

A nova equipe econômica está incentivando novos investimentos no país, e com isso já não é mais possível ganhar dinheiro confortavelmente na poupança e em CDBs comuns. Por isso, estamos declarando a Extinção do Investidor Conservador.

Se você faz parte dessa espécie de investidor que está em risco de extinção, confirme seus dados no formulário abaixo e fale com nossa equipe. Vamos te ajudar, sem dor e sem custo.