Como os EUA pretendem investir US$ 1 trilhão em infraestrutura

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Crédito: EUA/Freepik/Divulgação

A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos aprovou o projeto de infraestrutura que visa investimentos de US$ 1 trilhão.

Após meses de debates entre democratas e republicanos, a tão esperada legislação agora segue para a avaliação do presidente Joe Biden.

Diretamente em infraestrutura deverão ser gastos US$ 550 bilhões de recursos federais nos próximos 10 anos. A título de comparação, esse é o valor aproximado gasto em 1956 para construir todo o sistema de rodovias interestaduais dos Estados Unidos.

Mas há muitas outras áreas em que os investimentos farão diferença. Confira a seguir os pontos elencados pela BBC.

US$ 110 bilhões para o que você chama de infraestrutura

Estradas, pontes e grandes projetos. Os legisladores destinaram cerca de um quinto dos gastos federais neste projeto de lei para tudo que vêm à mente quando se fala em infraestrutura.

Um relatório do Fórum Econômico Mundial em 2019 colocou os EUA entre os dez primeiros países ricos em infraestrutura de transporte. Mas cerca de 20% das principais rodovias e estradas, além de 45.000 pontes, são consideradas em más condições, de acordo com a Casa Branca.

Há ainda um adicional de US$ 55 bilhões estabelecido para infraestrutura de água, para substituir canos de chumbo e garantir acesso a água potável.

US$ 66 bilhões para trens

Embora seja menos dinheiro do que Biden esperava inicialmente, os US$ 66 bilhões foram reservados para modernizar os trens de passageiros e de carga, com subsídios também para serviços de trem intermunicipal e de alta velocidade. Os recursos também iriam para a conexão de mais áreas com ferrovias, além da costa leste dos EUA.

US$ 65 bilhões para internet de alta velocidade

A exclusão digital se tornou um problema maior nos últimos anos. Esta parte dos recursos visa conectar milhões que vivem em comunidades rurais e de baixa renda proporcionando acesso confiável à internet.

As empresas que recebem uma parte desse financiamento governamental precisarão ter planos de preços mais baixos em oferta e permitir que os clientes comparem os custos. Um programa para subsidiar a internet e tecnologia relacionada para famílias de baixa renda também está em andamento.

US$ 73 bilhões para energia limpa

Ser ecológico e investir em energia limpa foi uma das grandes promessas de campanha de Joe Biden.

Sua expectativa anterior de investir mais de US$ 100 bilhões em energia limpa foi temporariamente frustrada, mas este projeto coloca bilhões em novas linhas de energia, reconstruindo as velhas redes elétricas da América e expandindo a energia limpa.

A construção de novas linhas de transmissão com capacidades de alta tensão será a chave para levar essa energia limpa para toda a América do Norte. Além disso, há mais de uma dúzia de bilhões para eletrificar o transporte público e construir mais carregadores de carros elétricos.

US$ 256 bilhões de déficit

Os legisladores dizem que o pacote virá de fundos de ajuda econômica não utilizados, impostos sobre criptomoedas e atrasos no pacote de descontos para saúde, entre outras fontes menores.

Na semana passada, estimou-se que este projeto de lei acrescentaria US$ 256 bilhões ao déficit dos EUA nos próximos 10 anos – embora não levasse em consideração a receita que poderia vir desses projetos de infraestrutura ou o retorno dos que os fundos pandêmicos poderiam gerar.