Dividendos: Entenda o que são e como calcular

Natalia Gómez
Editora, é jornalista especializada no mercado de investimentos há 17 anos. Formada pela PUC-SP, teve experiências em veículos como Agência Estado, Valor Econômico e Revista Você SA; e na área de comunicação corporativa e relações públicas para instituições financeiras.

Investir em ações requer noções específicas para se planejar e agir da melhor forma possível. Pensando nisso, vamos ajudar você a compreender o que são, como funcionam e como calcular os dividendos.

Para começar: o que são dividendos?

Os dividendos são, de forma resumida, os lucros de uma empresa distribuídos para seus acionistas. Eles são pagos em uma data definida pelo Conselho de Administração de cada empresa.

A distribuição pode ser feita por dinheiro. Neste formato, o acionista recebe uma quantia referente ao rendimento das ações. Mas a distribuição também pode ser feita com ações, ganhando mais participação na empresa.

Guia definitivo sobre Renda Variável  e os Melhores Investimentos para 2021

Saiba mais sobre como calcular os dividendos

Geralmente, a forma como os dividendos são calculados é baseada no número de ações que um acionista possui, considerando o valor da ação. Por exemplo: se a ação da empresa X pagar um dividendo anual de R$ 7 e se você possui 100 ações. Neste caso, seu dividendo total será R$ 700 (número de ações x valor da ação).

Outra forma é considerar a porcentagem do preço atualizado da ação.

Caso uma empresa anuncie o dividendo de 3% do preço da ação (que é negociada por R$ 30), o resultado seria esse valor multiplicado pela quantia de ações em posse do acionista. Por ação, ficaria: 0,03 x R$ 30.

O Dividend Yield é também outra maneira de fazer o cálculo. Nesse caso, o dividendo anual estimado é dividido pelo preço atual.

Fórmula: Dividend Yield = Dividendo anual por ação / Preço de cada ação. Exemplo: Caso as ações da empresa Z sejam R$100 e o dividendo anual seja oferecido a R$ 10, o resultado seria 0,1, ou seja, 10%.

Dividendo como estratégia

Como já ficou claro, a valorização do preço da ação não é a única forma de ganhar dinheiro no mercado acionário.

Muitas pessoas ganham também com a distribuição de dividendos. Este é o foco principalmente dos investidores de longo prazo, que ficam com o papel durante um tempo maior. Existem até pessoas que conseguem viver dos dividendos que recebem.

Para ter uma ideia, a maioria das empresas paga 25% do lucro do exercício como dividendo obrigatório. Os detalhes sobre a política de distribuição são descritos no Estatuto Social de cada companhia.

Vale destacar que a distribuição é feita de acordo com o número de ações que o investidor possui. Quanto maior a quantidade de ações, maior a parcela dos dividendos a ser recebida.

No entanto, surpresas podem ocorrer. Por exemplo, quando uma crise muito grave ocorre, as empresas podem revisar suas políticas para proteger seu caixa, suspendendo ou adiando o pagamento.

Mesmo assim, analisar o perfil de pagamento de dividendos das empresas é um passo importante antes de decidir onde investir seu dinheiro.

Outra forma de provento

Além dos dividendos, as empresas podem distribuir seus lucros por meio dos JCP. Esta sigla significa Juros sobre Capital Próprio.

A diferença é que o JCP é tratado como uma despesa no balanço da companhia. Ou seja, ele é considerado antes do lucro líquido. Com isso, ele reduz o lucro tributável, diminuindo o Imposto de Renda a ser pago pela empresa.

Portanto, o JCP costuma ser vantajoso para as empresas do ponto de vista fiscal.

(Texto publicado originalmente por Patrícia Auth)