Comerc Energia: conheça a holding que está na fila para IPO

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Divulgação

A Comerc Energia é uma holding de empresas do segmento de energia que está na fila para IPO (Oferta Pública Inicial).

A companhia é composta por empresas que atuam na comercialização, gestão de energia para consumidores livres, geradores e pequenas distribuidoras, soluções de eficiência energética, baterias e plataformas de informação e tecnologia.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

No prospecto preliminar, a empresa diz que detém a maior base de clientes no segmento de gestão de energia no Brasil . Além disso, a companhia é a quarta maior comercializadora de energia no Brasil.

Vamos conhecer melhor a empresa?

Histórico da empresa

A empresa iniciou suas atividades no setor elétrico em 2001 por meio do Grupo Comerc. Ao longo dos anos, o Grupo Comerc passou por um processo de expansão por meio da criação de novas entidades e diversificação de seu portfólio.

Em 2001, a Comerc Comercializadora de Energia Elétrica Ltda. começou sua operação no setor elétrico, sendo uma das precursoras do mercado livre, atuando tanto na comercialização de energia quanto na gestão de consumidores livres.

Em 2006 a Comerc Energia Ltda. foi constituída e começou a atuar para segregar as atividades de trading e gestão, uma vez que as atividades de trading do Grupo Comerc se intensificaram.

Em 2008 a Comerc Gestão ampliou sua atuação para gestão de geradores e passou atender também usinas hidrelétricas, térmicas a biomassa de cana, eólicas e solares.

Em 2015, com o intuito de ampliar o leque de soluções em energia para consumidores de gás natural do Grupo Comerc, foi criada a Comerc Gás Comercializadora. Em 2016, a Comerc Esco, Comércio e Prestação de Serviços em Energia (Nexway), que atua em projetos de eficiência energética, foi constituída e passou a oferecer para as empresas clientes a oportunidade de obter novos equipamentos de ar-condicionado, iluminação, motores e subestação sem a necessidade de realizar os investimentos e podendo pagá-los com a economia na redução do custo de energia elétrica.

Visando expandir a atuação em comercialização de energia do Grupo Comerc, sob a modalidade varejista do mercado livre, em 2016 foi criada a Comerc Power Trading (Comerc Futuro) que, em 2020, intensificou suas operações ao se tornar uma unidade de negócios independente e separar seu time de executivos do time da Comerc Comercializadora.

Criação da Comerc Energia

A companhia foi fundada em 2016, diante da expansão do Grupo Comerc, com o propósito de ser uma holding consolidadora dos ativos do grupo.

Em 2017, foi constituída a Doc 88 Desenvolvimento e Serviços S.A. (Doc 88), que atua no desenvolvimento de soluções tecnológicas para o Grupo Comerc. No contexto de soluções em energia, também em 2017, foi fundada a Micropower Comerc Energia S.A. (MicroPower), empresa que presta serviços de armazenamento de energia e da qual a companhia é uma das principais investidoras, juntamente com a Siemens, a Equinor e ex-executivos da Tesla.

Com a entrada da Equinor no quadro de investidores da MicroPower em 2020, a MicroPower foi então avaliada em R$ 132 milhões. Em 2018, a NewCom Comercializadora de Energia Elétrica (NewCom), a segunda comercializadora do Grupo Comerc, começou a atuar com foco em operações no Mercado Livre de energia, e foi lançado o produto Zordon, no segmento de serviços ao cliente, que permite a coleta e tratamento das informações de consumo por meio de software de gestão.

Em 2020, o Grupo Comerc inaugurou suas atividades no segmento de colocação de energia para o varejo, por meio da DMC Consultoria e Gestão de Projetos em Energia (Sou Vagalume), uma energytech cujo foco é geração distribuída de energia solar mediante assinatura digital.

O investimento na Sou Vagalume, em associação a Perfin Administração de Recursos, inaugurou a parceria do Grupo Comerc com a Perfin e os ativos por ela geridos.

Em 2021, o Grupo Comerc ampliou sua atuação no segmento de energia solar, por meio do investimento na Infinito Energy Investimentos e Participações S.A. (Infinito), que atua no desenvolvimento de projetos de geração de energia solar para autoprodutores.

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3

Comerc Energia

Principais atuações da companhia

Em 2021, a incorporação dos ativos de geração detidos pelos fundos geridos pela Perfin impulsiona a Comerc Energia a atuar como plataforma integrada no setor de energias renováveis, tendo como principais atividades:

  • Desenvolvimento, implantação e operação de projetos de geração de energia renovável;
  • Comercialização de energia no ambiente de contratação livre e gestão de geração distribuída no ambiente de contratação regulado;
  • Serviços de gestão e desenvolvimento de soluções no setor de energia.

Como prestadora de serviços de energia para consumidores livres, a Comerc Energia atende a clientes de grande porte por meio de serviços de gestão de energia, soluções para aumento de eficiência energética, comercialização de energia, consultoria e fornecimento de bases de dados e conteúdo.

Além disso, também atende a clientes de médio e pequeno porte por meio de serviços voltados à geração distribuída e à comercialização varejista com benefícios que incluem a redução de custos e maior facilidade de acesso aos serviços e informações, especialmente por meio de recursos digitais a seus clientes.

A empresa atende a grandes empresas nacionais. Abaixo estão listados alguns dos clientes da companhia, por anos de relacionamento:

  • Acima de 15 anos: Whirlpool, BRF, WEG, AngloAmerican, Klabin e Ajinomoto.
  • Entre 10 e 15 anos: São Martinho, Armco, Staco, Arcor, Iguatemi e TetraPak.
  • Entre 5 e 10 anos: Schutz, Cacau Show, Alpargatas, Casa do Pão de Queijo, InterCement, Renault, Melitta e Embraer.
  • Menos de 4 anos: AmBev, Coty, MultiLog, Cinépolis, St. Marche, Petz, Riachuelo e Duratex.

Pontos fortes da companhia

  • Alta qualidade do portfólio de geração de energia renovável.
  • Histórico de excelência na execução de todas as fases dos projetos.
  • Relevantes parcerias no setor de energia renovável.

Principais estratégias da Comerc Energia

  • Atuação nos diversos mercados e perfis de consumidores por meio da plataforma integrada e aberta da companhia.
  • Fortalecimento dos sólidos relacionamentos com parceiros de referência no setor.

Fatores de risco

A companhia não pode garantir que as condições financeiras dos contratos celebrados no Ambiente de Contratação Livre e no Ambiente de Contratação Regulado serão observadas.

A Comerc Energia pode não ser capaz de realizar as operações de negociação e comercialização da energia de forma rentável

A empresa pode não ser capaz de gerar toda a energia a que se obrigou negociar contratualmente, o que pode ter um efeito adverso relevante sobre a companhia.

A empresa poderá não conseguir entregar a energia por ela gerada a preços e condições contratados no âmbito dos contratos de comercialização de energia, o que poderá resultar em um efeito adverso relevante em seus resultados.

As atividades de comercialização da Comerc estão sujeitas a perdas potenciais devido a variações de curto prazo nos preços de energia no mercado spot.

Indicadores econômico-financeiros

Comerc Energia

Sobre o IPO da Comerc Energia

A empresa protocolou seu pedido de IPO na CVM (Comissão de Valores Mobiliários) em 16 de agosto.

Segundo o prospecto preliminar, a oferta será apenas primária. Ou seja, os recursos levantados com o IPO irão exclusivamente para o caixa da companhia.

A empresa quer ser listada no Novo Mercado, mais alto grau de governança corporativa da B3.

A Comerc Energia quer usar 80% dos recursos líquidos do IPO para investir em novos projetos do segmento de geração centralizada de energia.

No prospecto a empresa diz que quer investir em 6 projetos solares, que totalizam, em conjunto, 1.468 MWp de capacidade instalada (proporcional à participação da companhia em cada projeto), e em mais 2 projetos eólicos que totalizam, em conjunto, 1.793 MW de capacidade instalada (proporcional à participação da companhia em cada projeto.

Desta forma, os recursos provenientes do IPO serão assim investidos:

  • Novos projetos e em projetos de expansão para geração centralizada de energia (80%);
  • Investimentos em geração distribuída de energia (11,5%);
  • Desenvolvimento do segmento de soluções em energia (6%);
  • Desenvolvimento dos serviços oferecidos (2,5%).

Coordenam a operação as instituições financeiras Itaú BBA (coordenador-líder), BTG Pactual, Credit Suisse, XP Investimentos e Citi.

Ainda não há informações sobre prazos e preços da oferta.