Com efeito exportação, JBS (JBSS3) ultrapassa Petrobras (PETR4), veja outros destaques

Osni Alves
Jornalista (2007); Especializado em Comunicação Corporativa e RP (INPG, 2011); Extensão em Economia (UFRJ, 2013); Passou por redações de SC, RJ e BH (oalvesj@gmail.com).
1

Crédito: Com efeito exportação e câmbio, JBS ultrapassa Petrobras, veja outros destaques

Esperado como o pior trimestre em anos, o período de abril a junho veio com resultados melhores do que o mercado estimava.

Segundo o Valor, não só pelas baixas expectativas, mas, também, pelo desempenho forte das exportadoras, em especial dos frigoríficos.

Levantamento feito pelo Valor Dados com as contas divulgadas por 231 sociedades de capital aberto mostra que a receita líquida ficou estável, com recuo de apenas 1,8% antes do segundo trimestre de 2019.

O lucro operacional da amostra cai 29%. Os dados não incluem empresas financeiras.

Para se ter uma ideia do efeito exportação, se não for considerada os exercícios dessas empresas, a receita cairia 10% e o lucro operacional consolidado recuaria quase 50%.

A JBS (JBSS3) lucrou 55% a mais na comparação com o segundo trimestre de 2019, impulsionada pelo dólar acima de R$ 5 e uma demanda consistente.

Com uma receita R $ 16,7 bilhões maior, a empresa desbancou a Petrobras (PETR4)do topo do ranking pela primeira vez.

A estatal, que já vinha num processo de desinvestimentos, foi atingida em cheio pela queda do consumo e dos preços de petróleo com a pandemia.

Na mesma toada da JBS, um Marfrig (MRFG3) veio com desempenho recorde e entrou para o grupo das cinco maiores empresas de capital aberto por faturamento.

Das 231 companhias do levantamento do Valor Data , 58%, ou 134, tiveram de perda de receita.

Voltaram ao prejuízo, aumentaram prejuízo ou diminuíram lucro 54% delas, ou 124.

Relação dos bancos com as PFs

O diretor de relações com investidores do Bradesco, Leandro Miranda, encerrou a maratona de divulgação do balanço do segundo trimestre comentando os resultados do banco em uma live para 10 mil participantes.

Segundo o Valor, foi a primeira vez que o Bradesco fez um evento desse tipo, uma resposta ao crescimento de quase 60% no número de acionistas pessoa física do banco na primeira metade deste ano.

“Antigamente, não tínhamos com esse público a mesma atenção e sofisticação que tínhamos no relacionamento com investidores institucionais”, reconhece Miranda. “Agora, estamos fazendo um esforço para ter mais contato.”

A mudança vem a reboque do salto em número de CPFs registrados na B3, que chegou a 2,8 milhões no fim de julho. Como os bancos têm peso na composição do Ibovespa, atraem uma parcela certa dos investidores que estão chegando à bolsa neste mundo de juros baixos.

E, para testar a paciência de quem está chegando, ocorre num momento de pressão sobre os papéis das instituições.

A base de pessoas físicas do Bradesco subiu de 404,8 mil no fim de dezembro para 630,4 mil na metade deste ano.

No Itaú Unibanco, o número dobrou em 2020, para 471 mil. O Banco do Brasil (BB) viu o total de acionistas individuais passar de 484 mil para 664 mil no mesmo período. O Santander contabilizou alta de 32% no semestre.

Bunge corre por reestruturação

Em fase adiantada de um profundo processo de gestão iniciados em 2018, a americana Bunge, empresa de agronegócio, busca ganhar eficiência em tempos de acirramento da concorrência nas operações de comercialização.

Também aumentar a participação de produtos de maior valor agregado nas áreas que elegeu como “core business”.

Segundo Raul Padilla, presidente de operações globais da multinacional, parte dos avanços obtidos com as melhorias em curso já pôde ser observada nos resultados do segundo trimestre.

Como já informou o Valor, a Bunge encerrou o período com lucro líquido de US$ 516 milhões, 141% mais que entre abril e junho de 2019.

Bunge corre por reestruturação

Refit quer indenização

Após decisão favorável no Supremo Tribunal Federal (STF), a Refit vai buscar uma “solução amigável, que respeite a grave situação fiscal do Rio e ao mesmo tempo garanta os direitos da Refit a uma indenização justa”, disse o advogado da empresa, Ricardo Magro.

Conforme o Valor, a maioria dos ministros do STF decidiu, em sessão virtual na noite da última sexta-feira, que é nulo o decreto estadual de 2012 que desapropriou o terreno onde funciona a refinaria.

Eles entenderam que a desapropriação foi ilegal porque o terreno não era de propriedade do Estado, e sim da União.

Gestora Brei e o fundo com selo sustentável

A gestora Brei irá estruturar o primeiro fundo imobiliário com selo sustentável.

Ele será direcionado ao desenvolvimento do Biotic, um parque tecnológico em Brasília, e foi concebido como um bairro planejado.

Tem área de um milhão de metros quadrados e será um  hub de inovação.

‘Colchão de liquidez’ do Tesouro cai

Com a multiplicação do déficit público e o piora nas condições do mercado, o “colchão de liquidez” do Tesouro Nacional caiu neste ano para um patamar muito próximo do nível mínimo de segurança para a gestão da dívida pública.

Segundo o Valor, o limite prudencial é de cerca de três meses de vencimentos. Ainda no início da crise da Covid-19, o Tesouro falava que tinha caixa para cerca de seis meses, uma referência genérica que não aponta valores diretamente.

Significa dizer que acendeu a luz vermelha do déficit público, cujo valor, no conceito primário (que exclui a conta de juros da dívida), é de cerca de R$ 800 bilhões, praticamente seis vezes o que era projetado antes da pandemia, de R $ 129 bilhões.

Em uma linguagem coloquial, o dinheiro do caixa do Tesouro Nacional está acabando.

Empresas mais parecidas com startups

De olho na agilidade e rapidez para encontrar soluções inovadoras e disruptivas para seus negócios, grandes empresas estão se aproximando cada vez mais de startups para fazer parcerias.

De acordo com o Estadão, em cinco anos o volume de acordos fechados entre a “velha economia” e os novos empreendedores cresceu 20 vezes, segundo levantamento feito pela 100 Open Startups, plataforma que conecta esses dois mundos.

Só nos últimos 12 meses, 1.635 companhias fizeram contratos com startups.

Para medir esse engajamento entre as empresas, a plataforma criou o ranking das 100 corporações que mais tiveram relacionamento com os empreendedores em 2020.

No topo da lista, estão Natura, ArcelorMittal e BMG. “Em 2016, eram 82 empresas com algum tipo de parceria com startups. Neste ano, temos 1.635 companhias com contratos firmados”, afirma o presidente da 100 Open Startups, Bruno Rondani.

Gudes e o Orçamento 2021

Na reta final para a elaboração do Orçamento de 2021, que será enviado ao Congresso até o dia 31, começa a ganhar corpo no ministério da Economia a ideia de avançar o quanto antes no chamado “3D”: desobrigar, desvincular, desindexar.

Conforme o Valor, são as medidas que constam da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Pacto Federativo.

A proposta orçamentária a ser enviada será conservadora. Não contemplará programas que ainda não constam de lei, como o Renda Brasil, nem contará com receitas que podem não se concretizar. Mas a pressão política por mais investimentos e mais ações sociais continua.

Coronavírus

De acordo com o consórcio de imprensa formado para cobrir a pandemia do novo coronavírus, os números no Brasil estão assim:

Casos confirmados: 3.605.7883;
Recuperados: 2.739.035;
Mortes: 114.772.